sexta-feira, agosto 31, 2007

Blogames: Dianabolcaos – The Unreal Thing

Quem pensava que não havia jogos piores que o BnR Bet vai apanhar uma desliusão. Então não é que há um em que, em vez de se tentar acertar no que ganha, tenta acertar-se no que perde, e ainda nos dão uma mão-cheia de nada se acertarmos em cheio?

Esta espécie de liga dos últimos é a única que liga aos últimos, e vocês, que nunca tinham ouvido falar disto, podem ainda ser os últimos a inscrever-se, já que aquilo aceita inscrições até 15 de Setembro. E nem precisam de ter identidade no Blogger, podem enviar um mail.

Quem pode esbanjar a oportunidade de humilhar o Bulhão Pato; de ficar alguns momentos mesmo por cima da Helena Henriques (na classificação); de enredar o Diego na teia que ele próprio teceu; ou mesmo de meter um poste no cu do bola (queriam, não queriam?)?

As regras são fo-di-das de per-ce-ber por-que não a-pa-re-cem em la-do ne-nhum. Ganhar sem perceber as regras foi a minha única motivação. Aqui podem ver como ficaria a classificação se o campeonato tivesse terminado na segunda-feira passada. E aqui podem chamar nomes aos gajos quando eles explicam que não dizem as regras a ninguém para não correrem o risco de perderem. Foi o suficiente para me espicaçarem.

quinta-feira, agosto 30, 2007

BnRB apresenta...

Image Hosted by ImageShack.us

BnR Bet – Jornada 3



Vocês andam à cabeçada na caixa de comentários, trocando insultos, esfarrapando argumentos para demonstrarem que quem sabe do que fala são vocês.

Fazem mal. Um gajo inteligente prefere os 500 euros que lhe damos se provar que percebe disto um bocadinho mais que os outros. Não é dificil, pois não?

Foi o que fizeram nesta semana o Falsolento, o Diego Armés, o Insurrecto e o Burmelho (tenho de trocar uma palavra contigo), por exemplo. Gajos inteligentes.

Neste joguinho, pode-se entrar em qualquer altura, mas para quê dar avanço aos adversários?

Posto isto, posta a tua aposta!

quarta-feira, agosto 29, 2007

Valha-nos Nossa Sra. de Múrcia


  • Ufa!
  • Fiquei com a sensação de que o benfiquinha do engenheiro teria sido hoje atropelado em Copenhaga.
  • A nossa baliza parecia protegida por algo sobrenatural, como se a santa de Scolari tivesse feito uma perninha.
  • Não dá para emprestar o Nuno Assis ao AEK? Não? E ao Panathinaikos? E ao Man. City? Então e se for ao Cluij? E a um laboratório qualquer antidopagem? Hum?
  • Gostei de ver a equipa, que já ganhava, que já tinha a eliminatória na mão, que já estava de rastos depois de ter levado com aqueles armários o tempo todo naquele batatal, continuar a subir no terreno e a tentar o 2-0 até ao último minuto.
  • Dois jogos, duas vitórias, uma casa cheia, uns cobres simpáticos e uns pontinhos para Portugal. O tempo abriu, que aquele céu chegou a estar muito negro.

O verdadeiro erro de Proença

Três dias passaram do lance do Dragão e ainda ninguém reparou no busílis da questão. Se o passe/corte é, para muitos, de análise subjectiva, há uma acção que não a é. O golo é ilegal, o Sporting foi espoliado, mas não pelos motivos que todos discutem.

Também só ontem reparei, quando o Carlos Daniel leu um mail no Trio de Ataque. O Stojkovic, no momento em que se faz à bola para deter o livre, é agarrado pelo Pedro Emanuel. Devia ter sido assinalado livre directo a favor do Sporting na sua grande área. Este é que é o lance que não oferece qualquer tipo de interpretação dúbia. Há dúvidas? (Aguardo expectante o comentário do Arnold Schwarzenegger em forma de anjo)

Depois de tudo o que se passou, dos dois dias que Soares Franco demorou a condenar Pedro Proença, gostava de saber se Paulo Bento está em maus lençóis. Rui Oliveira e Costa crucifiou Paulo Bento e ainda disse que o técnico "manietou" a SAD de tal forma que ninguém se pronunciou no final do jogo. E todos sabem da ligação de Oliveira e Costa a Soares Franco. Basta ligar isto ao facto de duas horas antes o mesmo Soares Franco ter saído a terreiro para contradizer o seu Alex Ferguson. Por isto vos digo, a próxima conferência de imprensa de Bento é a mais aguardada de sempre.

O Benfica joga hoje em Copenhaga. A eliminação é o caminho mais certeiro, pela amostra de último sábado. Mas ainda há quem ache que Camacho é o salvador...

A definição de passe

Resgato para o espaço nobre do post uma discussão que vinha sendo travada na caixa de comentários. Parece um bocado básica, mas quem realmente gosta de futebol tem de se deter nestes pequenos nadas (sim, tenho demasiado tempo livre).



Suscitou escárnio a minha definição de passe num post anterior. O que proponho à audiência que quiser participar neste exercício é que contribua no sentido de chegarmos a uma definição que se aproxime o mais possível da consensualidade, esquecendo por momentos a autoria das participações, do género: «se foi o Boloposte que disse, é merda, deixa-me cá ver se consigo contrariar o gajo». Vamos lá tentar ser construtivos; insultamo-nos todos no final, depois de percebermos que não foi possível chegar a acordo.

Começo por fazer uma analogia que exclui desta primeira fase do debate aqueles que nem sequer sabem o que significa «analogia», quanto mais perceber o que se pretende dizer com uma [Pronto, já comecei o insulto... Contém-te, Boloposte]:

Dizerem que «o lance do Polga não é um passe porque é um corte» é o mesmo que dizerem que «a laranja não é um fruto porque é um citrino». Meus amigos, uma coisa não invalida a outra. É perfeitamente possível passar uma bola através de um corte, da mesma forma que é possível cortar um lance através de um passe. Isto para mim é evidente e inquestionável, mas vou recorrer a bonecos, para tentar recuperar para o debate a participação de alguns leitores que vivem na escuridão.





  • O guarda-redes laranja repõe a bola em jogo através de um pontapé longo para o seu meio-campo.
  • O jogador 2, de costas para a baliza adversária, domina a bola e tenta endossá-la ao seu companheiro 5.
  • O jogador amarelo identificado com o n.º 3 apercebe-se da intenção do laranja 2 e, beneficiando da pouca velocidade da bola, consegue alterar a trajectória desta dando-lhe um único toque na direcção do amarelo 4, lançando um contra-ataque.

Como se pode ver, é claro que o toque do jogador amarelo n.º 3 é simultaneamente um corte e um passe. Um corte pode, portanto, ser um passe. Alguém ousa duvidar de tamanha evidência? [Lê esta parte novamente, vsnunes, em loop, até perceberes idiota do caralho.]

Cai assim por terra a teoria daqueles que dizem: «Polga não fez um passe, fez um corte.» É uma frase estúpida que devia envergonhar quem a articula. [Lá estou eu a insultar de novo... Desculpem, é mais forte que eu.]

Vou repetir-me, mas acho que faço bem: é como dizer: «Ahahahah, uma laranja é um fruto? Ó minha besta, não vês que é um citrino? Isto realmente...» [olha, Antão, mais uma frase que terminou com um advérbio.] É que é mesmo assim. [Olha, Antão, outra! As gajas estão a meter-se contigo indecentemente! (foda-se, mais um advérbio no final, é melhor calar-me imediatamente. Ai!)]

Está morto um coelho. Mas já estamos a falar em passe e ainda não temos uma definição desta acção. A única coisa que sabemos até agora é que um passe pode por vezes ser simultaneamente um corte.

Eu proponho a seguinte definição: «Estamos na presença de um passe sempre que a bola passa de um jogador para outro, sejam ambos da mesma equipa ou não; seja tal acção deliberada ou involuntária; seja ela milimétrica ou não; seja com que parte do corpo for; em trivela ou em parafuso; sublime ou toscamente.»

Voltando à imagem, percebemos que a bola passou de 1 para 2; de 2 para 3; e de 3 para 4. Pelas minhas contas, temos três passagens. Ou três passes.

O passe de 1 para 2 foi fortuito. Quero eu dizer que o guarda-redes não teve a intenção de colocar a bola exactamente nos pés do 2. Ele mandou um charuto lá para a frente, na esperança de que fosse um qualquer companheiro de equipa a ficar com a redondinha. Seja como for, passou-lhe a bola. Fez um passe.

O passe de 2 para 3 é involuntário. A ideia era passar ao 5. Ainda que a bola não tenha ido para onde 2 queria que fosse, o passe fez-se. Um passe falhado para 5 foi perfeito para 3. A mesma acção é simultaneamente um passe e uma perda de bola; Uma fífia e um brinde. Uma sorte para os amarelos e um azar para os laranjas. Chamem-lhe o que quiserem conforme o vosso ponto de vista. Tecnicamente, é sempre uma passagem da bola de um jogador para outro. Ou um passe.

O passe de 3 para 4, já tinha dito, é um corte. Ainda há quem se choque com esta ideia: «o passe (...) é um corte»? Espero que não. E se o passe é um corte, o corte é um passe, tanto faz dar-lhe por cima da cabeça como por baixo do chapéu. Citando o HK: «Parece-me claro que Polga tenta, através daquele corte, deixar a bola jogável para um colega de equipa. Logo, terá feito um passe...» Faz sentido, ó trupe do corte-não-é-passe? Não volto a explicar esta merda.

Fico à espera que apontem falhas (ui, e se ela as tem!) a esta tese, bem como dos vossos subsídios para a «boa definição» de passe.

terça-feira, agosto 28, 2007

BnR Bet – Tabela classificativa J2

Jornada 2


Segunda etapa da corrida à nota grande mantém o líder, mas muda de pódio.
  • T-Rex desafia os carpichos deste jogo e mantém a liderança conquistada na primeira jornada. Como é, T, assumes-te como candidato?
  • No segundo lugar está agora um concorrente que havia sido eliminado na ronda anterior. Este jogo é mesmo assim: um dia na miséria, outro dia no alto; ou vice-versa. Boa recuperação, Red Glock.
  • A fechar o pódio, outro concorrente que apostou tudo o que tinha. Quinhentinhos lucrou com a vitória do FCP, o que faz todo o sentido.
  • Ratogoleador também teve uma boa estreia, é muita experiência acumulada.
  • A lamentar a saída de O Visconde Era Gay, que já ganhou esta prova uma vez e que se junta ao defensor do título, Jou, que também ficou de molho logo na primeira jornada. Será que voltam como o Mark3r vai voltar?
  • Quem achar um erro na tabela ganha um banner.

Maus adeptos

Não há dúvida, em Portugal os adeptos são maus. Aliás, muito maus. A discussão do lance do Stojkovic e do pretenso corte de Polga teve o condão de mostrar que os adeptos dos clubes portugueses gostam de tapar o sol com a peneira. Parece que o Sporting fez uma exibição de gala, deu festival, mandou cinco bolas aos postes e deixou o Dragão em alvoroço. Longe disso, mas agora o que vale é discutir se houve atraso, corte, passe ou coisa que o valha.

Para lixar ainda mais os (maus) adeptos do Sporting – tão maus como os do Benfica que nem discutem as péssimas opções de um espanhol perito em marketing perante uma equipa recém-promovida – o próprio Paulo Bento calou-se bem caladinho. Vukcevic falou em grande erro do colega de equipa, Moutinho disse que teria feito o mesmo e os responsáveis leoninos esconderam-se atrás dos arbustos, deixando os (maus) adeptos a falar sozinhos.

segunda-feira, agosto 27, 2007

Uma lição de português

Mulheres nuas e lições de português no mesmo blog, no mesmo dia, é desconcertante, mas cabe tudo na ideia de serviço público.

Vem esta ensaboadela a propósito do post anterior, que versa sobre a interpretação da lei. Num mundo perfeito, os responsáveis pela redacção das leis saberiam escrever. No mesmo mundo perfeito, os que têm de cumprir e fazer cumprir as leis saberiam lê-la.

Antes de irmos à questão de fundo, vamos atentar-nos deliberadamente nos malfadados advérbios. A sua colocação na frase tem influência no significado da mesma. Para ilustrar isto, trabalhemos sobre a frase «Eu escrevi uma carta à Rita», acrescentando-lhe um simples advérbio, que pode encaixar-se quase em qualquer lugar. Mas não indiferentemente.


Apesar de a frase ter sempre os mesmos elementos, ela não significa sempre a mesma coisa. Nem todas as pessoas conseguem perceber isto quando têm de descodificar um texto ou interpretar uma lei.

A primeira frase, « eu escrevi uma frase à Rita», significa que mais ninguém para além de mim escreveu a carta à Rita. Nem o Pitons, nem o Antão, nem o Sarrafeiro a escreveram; só eu.

Na segunda, «Eu escrevi uma carta à Rita», o que é limitado pelo advérbio é a acção. Portanto, se eu «só escrevi», eu não fechei a carta num sobrescrito, eu não lhe colei um selo, eu não a pus no correio.

Na terceira, «Eu escrevi uma carta à Rita», explicita-se que não foram duas nem três as cartas que eu escrevi à Rita, foi apenas uma.

Na quarta, «Eu escrevi uma carta à Rita», é clarificado a quem se dirige a carta que eu escrevi. Essa foi dirigida só à Rita, não à Miss Jornada 1 nem à Miss Jornada 2.

Agora que já percebemos a influência que um advérbio tem numa frase, vamos lá reler o ponto da lei que provocou a celeuma no clássico do Dragão:

«Tocar a bola com as mãos vindo de um passe atirado deliberadamente com o pé por um seu colega de equipa.»

Bom, se é este o texto a que Pedro Proença se refere como «muito claro e objectivo», o árbitro de Lisboa foi muito benevolente. «Vindo» não concorda com «bola» (devia ser «vinda»). Os passes não se «atiram». Pode fazer-se um passe, pode efectuar-se um passe, até pode tirar-se um passe, mas nunca vi ninguém atirar um passe. A menos que se trate de um passe social.

Mas centremo-nos no advérbio «deliberadamente». De acordo com a lição lá de trás, o que isto significa é que o acto punido, o «passe atirado deliberadamente com o pé», se distingue de outros passes, como o «passe atirado deliberadamente com a cabeça» ou mesmo o «passe atirado deliberadamente com as mãos», por exemplo. Dito de outra forma, o advérbio («deliberadamente») recai sobre a forma como o passe é efectuado («com o pé»), não recai sobre a acção de passar. Portanto, o que o texto da lei diz é que é irrelevante se o passe é deliberado ou não. Isto é o que o texto diz, não sei se é esse o espírito da lei.

Aqui há outra questão, que é a da definição de passe. Tenho para mim que um passe é a transmissão da bola a outro jogador. Não se pode dizer: «Não, não é um passe, é um corte», nem «Não, não foi um passe, foi uma trivela», nem «Não, não foi um passe, foi um remate». Sempre que um jogador transmite a bola a outro, faz um passe. Seja de propósito ou sem querer; seja com força ou devagarinho. Já terão visto muitos avançados, na hora do remate, atirarem a bola à figura do guardião, dizendo-se que acabaram por fazer um autêntico passe ao guarda-redes.

O que é que Polga fez no Dragão?

– Fez um passe?
– Sim, transmitiu a bola a outro jogador.

– Fê-lo deliberadamente com o pé?
– Sim, não pareceu que tenha tentado usar a cabeça ou qualquer outra parte do corpo que não o pé.

Portanto, bem vistas as coisas, Polga fez aquilo que a lei estipulou que não podia fazer. Proença interpretou impecavelmente o que diz o texto da lei. Se a lei está mal feita ou mal redigida, não é um problema dele.
E assim me fodeu a aposta no BnR Bet.

Profissionalização?

Eu não sou (e quem por aqui anda há mais tempo sabe disso) o tipo de adepto que se vem queixar dos árbitros após maus resultados, defendo a teoria que por muito que um árbitro roube a nossa equipa (seja ela qual for), a mesma só tem que se agigantar e perceber que está a jogar contra mais um, ou dois, ou três.

Claro que certos erros são escandalosos e um gajo passa-se a sério, em relação ao jogo de ontem no Dragão, já fui bem explicito nos comentarios através de outro nick que tenho, que não me parece que o Sporting tenha querido ganhar o jogo desde o inicio, entrou exactamente como eu havia previsto no meu último post, mas depois faltou-lhe o resto, diga-se verdade só começaram a jogar a bola quando já tinham uma batata entalada na goela.
Não culpei o árbitro na altura devido a ter pensado que o mesmo tinha considerado atraso de Polga e não um simples corte, mas após ler isto;

"Futebol Pedro Proença «tranquilo e satisfeito» Pedro Proença diz estar «tranquilo e satisfeito» com a sua prestação no «clássico» FC Porto-Sporting. O árbitro lisboeta defende o juízo que fez no lance do golo dos azuis e brancos, lembrando que «as leis de jogo são muito claras e objectivas». «As leis de jogo são muito claras e objectivas nestas questões: sempre que um jogador joga uma bola para o seu guarda-redes com o pé, seja através de um corte ou de um passe, este fica impedido de agarrá-la. Se o fizer será punido com pontapé livre indirecto, no local onde agarrou a bola com a mão. Limitei-me a cumprir a lei», afirmou Pedro Proença. O juiz lisboeta admite que poderia ter «decidido de outra maneira» em alguns lances, mas salienta ter ficado «satisfeito e tranquilo» com a sua prestação. «Sinto-me tranquilo e satisfeito com o meu trabalho, com a consciência de que, numa ou noutra situação, poderia ter decidido de outra maneira. Mas tanto eu como a minha equipa demos o máximo para desenvolver um trabalho positivo. Quando assim é, a mais não somos obrigados», lembrou, deixando uma palavra de agradecimento aos jogadores: «Gostaria de realçar o espírito de “fair play” dos jogadores, que contribuíram para um espectáculo positivo no Dragão». 27-08-2007 12:53 in A Bola online"

A única certeza que me fica é que afinal o gajo fez mesmo asneira da grossa, não porque queira roubar, mas apenas porque mesmo sendo árbitro não sabe as regras do jogo aqui fica a digitalização da regra em si, ontem não respeitada pelo árbitro afinal por ignorância:



De salientar que este foi o árbitro melhor classificado da época passada.

I rest my case.

Up Yours! – Miss Jornada 2

Como quase sempre acontece no rescaldo da jornada, aqui está a segunda candidata aos 500 euros do concurso Up Yours!

Senhoras e senhores, convosco... a Miss Jornada 2:


QUESTIONÁRIO

1 – Ser do Boavista é... não se importar de ver o sol aos quadradinhos.

2 – Com que jogador darias uma voltinha?
Com o Petit (gosto à bruta).

3 – O que é o futebol?
A religião dos tempos modernos.

4 – O que é que tu fazes melhor que ninguém?
Bacalhau com natas.

5 – Que fantasia ocupa neste momento o lado mais porco da tua mente?
Tenho dificuldade em distinguir o lado mais porco da minha mente.

6 – Qual foi o local mais inusitado onde já fizeste o amor?
Eu podia dizer que foi no rabiosque, mas isso só será inusitado para o pessoal mais conservador.

7 – Ninguém sabe quem tu és, podes confessar: qual é o teu maior segredo?
Não é que seja um segredo, mas é mesmo o maior que tenho: mandei aumentar o peito.

8 – Há alguma promessa que queiras fazer aos jurados se eles te derem a vitória?
Baixo os impostos.

9 – De que foi que nos esquecemos de te perguntar?
A minha idade.

10 – E que resposta terias dado?
Não se pergunta a idade a uma senhora!

No final do campeonato, aqueles que chegarem ao fim do BnR Bet com mais do que os 10 pontos com que começaram a prova serão chamados a votar na eleição da Miss BnR B.
Recordemos a Miss Jornada 1.

Ficamos à espera que nos enviem a participação para a Miss Jornada 3, ainda não chegou nada, ó mariconços.

domingo, agosto 26, 2007

Os deméritos de Paulo Bento

Paulo Bento, visto como muitos como um excelente treinador, foi o grande obreiro da derrota do Sporting no Dragão. Tal como na maioria dos jogos do Sporting com adversários da mesma igualha, Paulo Bento não quis ganhar, quis não perder, privilegiou a organização defensiva e esperou por um rasgo de um dos seus futebolistas - Tello e Izmailov já o safaram... - para somar três pontos ou, então, um. Claro que quem treina amiúde a defesa quando se vê a perder não tem trabalho feito.

Antes de continuar, permitam-me que vos elucide. Não considero Paulo Bento um treinador de excepção. Acho que Paulo Bento tem pulso firme e sabe colocar os jogadores do seu lado. A seu favor, os Bernardos desta vida e a tal política de comunicação que Fernando Santos assume não ter existido na na Luz durante o período em que esteve no comando dos encarnados.

Paulo Bento, o tal que lança muitos jovens mas que não lançou João Moutinho e Nani ( é a história da mentira repetida muitas vezes), para mim não passa de um capataz. É uma espécie de um Octávio Machado mais requintado, é um Camacho com um pouco menos de classe.

Hoje, Paulo Bento ficou refém da sua falta de audácia. Na forma como a equipa jogou - claramente amputada dos últimos 30 metros durante quase uma hora - e na persistência em manter Stojkovic no onze quando tem Rui Patrício na prateleira, logo ele que tem qualidade para dar e vender. Mas o Paulo Bento é que tem coragem em lançar miúdos. Até pode ter, mas quando se fica refém dos homens que contratam em Alvalade.

E vamos ser justos, o que fez Stojkovic mais do que Rui Patrício para ser titular? Nada, se calhar o inverso também é verdade, mas não é Paulo Bento um homem de coragem conhecido por lançar muitos miúdos, inclusivamente um inenarrável Ronny?

E nunca o Sporting entrou em campo com tanta superioridade psicológica sobre um FC Porto claramente ansioso e nervoso por saber do histórico recente entre as duas equipas.

Vitória justa dos portistas, sem qualquer margem de dúvida. A factura vai engrossando, mas para Carlos Freitas, Rita Figueira, Ribeiro Teles, Pedro Barbosa e quejandos o que interessa são outros tipos de contabilidades

Ismus

Dois putos e dois pontos

Depois de Fernando Santos, Jose Antonio Camacho... E o Benfica a marcar passo na Liga: dois jogos, dois empates; os dois adversários são as mais recentes equipas promovidas ao escalão maior do nosso futebolzinho.
Algumas notas soltas sobre o nulo com o Vitória de Guimarães.
- o "espanholito do marketing" somou um pontinho num jogo fraco e aproveitou a oportunidade para lançar dois jovens - o central Miguel Vítor (titular numa zona do terreno que anda azarada) e o médio Romeu Ribeiro (deu novo pulmão ao miolo encarnado).

- Um empate em casa é sempre mau resultado para quem quer ser candidato a ganhar títulos. Mas o técnico espanhol lá geriu as substituições à sua maneira. Lançando dois jovens da cantera do Seixal, lá comentou com os amigos que não ganhou pontos, mas ganhou dois reforços de onde, há muito, ninguém os desencantava...

- Nuno Gomes continua a somar pontos para facilitar o divórcio com as águias; falhou isolado com o guarda-redes minhoto; os seus índices de confiança dão nota que só poderá voltar a ser jogador quando deixar a Luz. Ali já não mora a sua veia goleadora, está a criar uma imagem de verdadeira antipatia pelo golo. Depois das estranhas palavras proferidas em Matosinhos e do choque com o presidente, a vida não se avizinha fácil...

- "Não presta! Está velho!", terão concordado alguns com o comendador Berardo... Mas, neste momento, Rui Costa é mesmo o líder da equipa. Aos 35 anos, é quem tem menos receio de tomar decisões numa equipa que tarda a reencontrar a sua identidade vitoriosa.

- Com margem de manobra, mas com pouco tempo para preparar o próximo jogo, Camacho terá de mostrar já uma face mais aguerrida e objectiva no jogo em Copenhaga, para a Liga dos Campeões.

- Com esta média pontual, o Benfica chegaria com 30 pontos ao final do campeonato... Um pontinho por jogo chegará para a manutenção? Banal demais esta equipa, pelo menos para já.

Um cumprimento para toda a blogosfera e, em particular, ao BnR B por nos receber de braços abertos.
Mas que ninguém conte com muitos paninhos quentes nas nossas análises e revelações.
Ninguém cegará a lâmina do nosso machado, como fazem com alguns jornaleirecos da praça.
E também não valerá a pena castigarem-nos nos comentários...
Viemos para fazer golos!
Tremei, acomodados do sistema!
--Iron--

Mais vale cair em graça do que ser engraçado

Bom, o que sinto faz-me parecer José Couceiro, que encontrava sempre pontos positivos nos desastres em que estava envolvido: «É verdade que fui atropelado por um autocarro, mas a marca dos pneus acabou por conferir um padrão engraçado ao meu casaco, gosto de me ver assim.»

Friamente, Camacho fez pior que Santos no jogo anterior: de novo contra uma equipa que veio da segunda divisão, desta vez jogávamos em casa e nem um golo marcámos. Mas gostei mais de nós desta vez.

Camacho não me pareceu muito bem nas substituições, mas não lhe chamei muitos nomes.

Gostei da chamada do júnior para central. Com Santos, teríamos queimado Luisão para Copenhaga e adaptado outro consagrado quando o brasileiro saísse agarrado à perna. Ganhámos mais um jogador. A chamada do outro puto já me pareceu exagerada, não era dele que a equipa precisava naquele momento, nem estávamos a ganhar para oferecer minutos ao miúdo. Enfim.

Reparei que Coentrão se atirou menos vezes para o chão. Contei muitas recuperações de bola ou intercepções de lances do adversário que se deveram unicamente à maneira como as pedras estavam colocadas. E também achei que fomos mais vezes lá à frente com chances de fazer golo.

Enfim, perdemos mais dois pontos, mas senti melhoras e volto a acreditar. Nunca mais acaba a pré-época!

sábado, agosto 25, 2007

PS ao post anterior:


Eu e a minha boca grande...

Vamos lá falar antes de tempo

Eu bem que podia aproveitar esta oportunidade para estar calado, mas acho que assim tem mais piada, mesmo que venha a custar-me os amargos de boca em que não acredito.

Diz-se agora que a equipa do Benfica é muito fraquinha, e que Camacho, se por acaso soubesse fazer as melhores omeletas do mundo, não teria ovos para isso.

Discordo. O plantel encarnado não é tão forte como o presidente o pintou nem tão fraco como muitos crêem. Fernando Santos tinha o condão de fazer parecer os jogadores piores do que na verdade são, e acredito que isso tenha enganado muita gente a respeito da valia da equipa.

Acredito também que, mesmo com poucos dias de trabalho, mesmo com os problemas de lesões, o novo modelo táctico combinado com os efeitos da chicotada psicológica será receita suficiente para fazer Cajuda engolir toda a bazófia que escarrou ao longo da semana.

Eu não tinha necessidade nenhuma de dar o peito às balas desta maneira, mas é uma convicção que tenho, que contraria a maioria da opinião que se publicou nestes últimos dias, e tem mais valor contrariá-la agora, antes de se abrir o melão, do que depois do melão aberto, como costuma fazer El Angel Exterminador, o mestre Alves da caixa de comentários deste blog, aquele que nunca se surpreende com nada, aquele que já sabia tudo o que ia acontecer, mas que só nos diz isso depois de acontecidas as coisas.

Quem quiser pode apostar todos os pontos que tem na vitória do Benfica no jogo de logo frente ao V. Guimarães. Eu ofereço um novo banner se a coisa der para o torto.

BnR B foi às compras

Ainda antes do fecho das inscrições, o BnR B conseguiu chegar a acordo com dois reforços. Não foi fácil, porque procuramos apenas os piores dos piores, e o Zequinha ainda não sabe escrever.

Como quase sempre acontece, as coisas por aqui não são muito normais. Este par de jarras vai partilhar o mesmo nick. Eles não são almas gémeas, muito pelo contrário, cada um puxará a brasa à sua sardinha, já que até são de clubes diferentes. Mas eles até nem são muito do tipo faccioso, estão aqui em nome da verdade desportiva, estão por dentro de muitos segredos de bastidores, vamos lá ver se partilham alguns connosco.

Senhoras e senhores, meninas e meninos, acéfalos e special ones, convosco a verdadeira dupla infernal do futebol português, Liedson e Derlei Iron & Ismus.

quinta-feira, agosto 23, 2007

BnR Bet – Jornada 2


  • Estão abertas as hostilidades referentes à jornada 2.
  • Zhero, podes entrar em campo, que foste tu o vencedor do passatempo do passado domingo. Espero que conheças as regras do concurso. Passa pela secretaria para nos dizeres como queres o banner a que tens direito.
  • Por falar em secretaria, pedimos que passem também por lá aqueles que ainda não têm o certificado internacional.
  • Posto isto, posta a tua aposta!

BnR Bet – Tabela classificativa J1

Aí está a primeira tabela classificativa do pior jogo do mundo, que neste ano tem o melhor prémio de sempre. Já há quem se destaque pela positiva... e pela negativa.

  • O primeiro líder é o T-Rex, que apostou forte no Marítimo. Deu-se bem.
  • Na segunda posição vai a honra do convento. Onde está o resto do plantel deste blog?!
  • Antitripa fecha o pódio, graças a uma mais moderada aposta no Marítimo.
  • Se o campeonato terminasse hoje, só os 5 primeiros teriam direito a votar na Miss BnR B e a determinar que febra ficaria com os 500 euros desse concurso.
  • O resto do pessoal entrou com o pé esquerdo, e houve quem tivesse entrado com os dois, como o homem que defende o título, Jou, e como o único concorrente que já nos enviou uma febra, Red Glock. A jogares dessa maneira, RG, não vais ter pontos para votar em ti próprio.
  • Como sempre, pedimos para estarem atentos à correcção dos números desta tabela. Não fazemos por mal, mas por vezes enganamo-nos. A provar que não o fazemos dolosamente, penalizamo-nos com um incremento de 10 euros ao prémio final sempre que um erro for detectado, e oferecemos um banner de igual valor ao autor da descoberta.
  • A terminar, queremos saber quem é que neste ano se assume como candidato.

Um pequeno recado do Pitons...



Devo começar por informar que este post só interessa a sportinguistas e fala mesmo da equipa do SCP e sua forma de jogar, como tal não terá grande interesse para quem não seja do clube.
Ainda que este blog faça todos os possiveis para ser o pior blog do mundo, não invalida que por vezes se tente falar do jogo pelo jogo, como tal se não és do SCP, o máximo que levas daqui é uma seca e perda de tempo, foram avisados.

O recado é mesmo para os leões todos que desde o jogo da Supertaça e ainda mais acentuadamente após a vitória sobre a Académica entraram num frenesim de "gasganetice" em relação ao jogo com os tripas, que sinceramente eu não consigo perceber...

Penso que menosprezar uma equipa que é bicampeã e tem nas suas fileiras jogadores como Helton, Lucho, Quaresma, Mariano Gonzalez, Lisandro, Postiga e Cª ainda por cima em sua própria casa é puramente conversa de lampião. (Não, não chamei lamp a quem tem a fezada, apenas estou a tentar que toda a gente ponha os pés bem assentes no chão).

O Sporting pode perfeitamente ganhar, não tenho dúvidas que a equipa tem qualidade e capacidade para isso.


Seguindo o raciocinio este tipo de jogos decide-se geralmente pela concentração e força psicologica, o SCP leva a seu favor o facto de não ter perdido lá nas duas ultimas temporadas e os ter encavado para a supertaça, conhecendo a tripeirada como conhecemos sabemos que isso tem o efeito de os irritar ainda mais e é incentivo para jogar melhor, mas é também verdade que a defesa deles é agora fraquita (mesmo que Stepanov jogue) e o ataque está desfalcado ainda que Postiga no meu entender seja o PL mais underated do futebol tuga.

Tenho quase a certeza que Jesualdo não vai repetir a tactica da Supertaça, com o 4-4-2 a limitar Veloso e vai voltar ao seu 4-3-3, entrando forte e tentando marcar nos primeiros minutos o que lhes daria uma vantagem psicológica bem vincada.
Por isso é fundamental que o SCP entre com uma concentração absoluta e tenha em mente que a sua primeira missão antes sequer de pensar em ganhar é enervar os homens, fechar os caminhos para a baliza de Stojo é o inicio desse enervamento,
fazer uma circulação de bola, sem erros, não abusar da charutada para a frente que tantas vezes vemos no inicio dos nossos jogos e que acontece sempre que estamos com dificuldade para assentar o jogo, reparem por exemplo na nossa jogada de inicio de partida, o boabosta de Pacheco usa isto há anos e nem uma vez a vi funcionar, bola tocada pelos PL, passada para trás num médio descaído na esquerda ou direita e pontapé longo para a corrida de um jogador junto à linha, que raramente chega à bola ou mesmo que fique com ela é rapidamente desarmado porque os colegas não tiveram tempo de correr o suficiente para o apoiar, isto mostra que o SCP de forma estudada começa o jogo a defender dando basicamente a iniciativa do jogo ao adversário.

O Sporting de Paulo Bento é uma equipa cinica, tem que ver primeiro o que o adversário faz para depois combater, o SCP joga conforme os adversários que lhe aparecem à frente, ainda que tenha uma táctica bem definida e uma rigida disciplina nas tarefas de cada jogador.
Como tal tem que aparecer nessa disposição mas de forma mandona, cada minuto que passar tem que fazer com que os tripas sintam que não conseguem marcar e que o tempo corre contra eles, a seguir a isso terá que ser perigoso nas vezes que conseguir atacar de forma mais frequente, assim mantê-los-à na insegurança de poderem sofrer a qualquer momento.

Volto a reiterar que tenho a certeza que Jesualdo vai entrar para marcar o mais cedo possivel tentando surpreender o SCP, temos que procurar parar os homens primeiro e só depois, então se houver condições ir à procura do golo.
Não se trata de medo, porque isso é mesmo o que não pode haver, trata-se de ser sagaz e realista.

A seguir estará nas mãos dos artistas, Paulo Bento sabe bem que mesmo não podendo jogar para empatar (nunca o fez, só desiste de ganhar às vezes, porque arriscou uma e quase foi crucificado por isso, compreendo-o perfeitamente), se trouxer 1 pontito é trabalho feito, mas não esquecendo que se trouxer os 3, para além da vantagem pontual para os dois adversários, pode colocar nos tripas o mesmo tipo de crise que os lamps atravessam, isso seria muito bom, porque apesar de não sermos lampiões, "Candeia que vai à frente alumia duas vezes"...


(confesso que ler em todos os pasquins que Ronny continua titular me deixa muito nervoso, ainda que Marian Had possa acusar a responsabilidade de se estrear num jogo destes, mas também pode moralizar, com Ronny fico mais com um credo na boca cada vez que vir Quaresma por ali do que com Had, porque ao menos sei que com o eslovaco o corredor não ficaria tão aberto e muito menos com ele parado a olhar para os jogadores e os centrais a saírem do meio para o dobrar 3023232 vezes por jogo)


Obrigado por lerem, filkem bem, sempre bem

quarta-feira, agosto 22, 2007

A solução

Tras jugar en las categorías inferiores del Albacete, José Antonio Camacho se incorpora a los filiales del equipo blanco en 1973. En la temporada 1973-74 debuta en el primer equipo, de la mano de Luís Molowny, y rápidamente se hace con un puesto en la defensa madridista.

Mais um exclusivo BnR B

Toda a gente conhece a cantiga de embalar que tenta fazer-nos acreditar que o livro que Carolina Salgado acabou por publicar não é bem igual ao "original", não é verdade?

Pois bem, não somos menos que ninguém, e ao BnR B também chegou uma denúncia anónima de uma irmã gémea do realizador do spot publicitário das gameboxes do Sporting, e ficámos a saber que o filme que se vê no site leonino, aquele em que o Paulo Bento telefona a meio mundo, também se apresenta muito diferente da primeira versão.

Não é para nos gabarmos, mas o nosso dossier anónimo é muito melhor que outros rafeirosos que andam por aí: primeiro, não se limita a insinuar, apresenta provas concretas que vamos já partilhar convosco; segundo, é um dossier anónimo que vem assinado no fim, o que é uma autêntica pedrada no charco da baixaria. Ora vejam:


Disponível também em .pdf.

Quem diz a verdade não merece castigo

As declarações de Nuno Gomes no final do Leixões-Benfica caíram mal a Vieira. Queria só dizer que, se não gosto de carneiros na bancada, também não gosto deles no plantel. O capitão esteve muito bem, metendo o dedo na ferida e contribuindo para que o presidente finalmente se mexesse como devia ser. É isso que espero de um capitão do meu clube, que, em tempo de crise, não se preocupe só em que não chova para o seu lado. Clap! Clap! Clap!

Nada de ajudas

Ele consegue sozinho.

Nota 10

A RTP passou ontem um documentário fabuloso, ao nível do documentado. Como é que pode haver ateus e infiéis?

terça-feira, agosto 21, 2007

Coincidências Negras e Encarnadas

Olhando à primeira vista as semelhanças entre o Benfica 2007/08 e a Académica 2007/08 parecem ser ténues, excluindo o facto de serem dois clubes que dormem sobre o seu historial e defendem a sua identidade (ou o que resta dela), competem na Liga Bwin e na Taça de Portugal, e terem contratado grandes “ex - promessas” do futebol Sul Americano durante o defeso – Andrés Diaz (que devido a problemas desconhecidos deixou a equipa titular do Rosário Central em 2005 estando sem treinar e jogar durante um mês inteirinho) e Horacio Peralta (muito jovem deu nas vistas no Nacional de Montevideu, transferindo-se para o Inter de Milão, que o emprestou ao Cagliari onde também não foi muito feliz passagens pelo Albacete, Grasshoppers e Flamengo constam na lista de entidades patronais deste “quase craque”) – contudo irei passar a relatar algumas semelhanças entre o momento destes dois clubes da Bwin.
Esta aventura leva-nos até ao início da época 2006/07 onde são apresentados os treinadores Fernando Santos e Manuel Machado logo aqui a reacção dos sócios é semelhante, a divisão de opiniões entre o “vamos lá ver…” e o “este não serve” foi imediata.
Após 30 jornadas, jogos para competições europeias (caso dos encarnados) e umas eliminatórias de Taça tanto Benfica como Académica cumprem os mínimos para que a sua época não seja catalogada de TERRÍVEL, o SLB lutou pela vitória das três competições em que se encontrou inserido, sendo que acabou por perder todas em fase adiantada do evento (ok … campeonato foi sempre um objectivo utópico após alguns resultados menos conseguidos lá para Abril e a Liga dos Campeões é o sonho que vai permitir a “todo o Portugal” ver António Sala sem bigode, promessa desvendada pelo mesmo num programa televisivo de sábado à tarde) e a AAC conseguiu a manutenção preservando a tradição dos ataques cardíacos e espectro da descida até à ultima jornada.
Após um campeonato atribulado para ambas as instituições ao nível desportivo os presidentes reúnem-se com os seus treinadores fazem o balanço da época desportiva e decidem-se pela continuidade dos “Misteres”, para juntar ao lote de semelhanças se esta decisão tivesse sido tomada pelos adeptos os “Misteres” teriam sido dispensados no fim da época mas nem sempre a vontade popular prevalece.
Acabam as férias e começa-se a planificar a época 2007/08 com reestruturação do plantel, definição de sistema de jogo, e tudo mais que uma “pré pré época” deverá ter.
A “silly season” futebolística incide sempre bastante sobre os encarnados, volta-se a falar de todos os nomes e mais alguns, para reforçar o plantel de Fernando Santos, chegariam reforços com “R” maiúsculo e o Benfica ia ser o MAIOR, na Académica as contratações eram poucas feitas com também pouca discrição o que permite aos adeptos saber com uma semana de antecedência que o jogador ABC ia assinar. Durante as primeiras semanas da pré época tudo parecia estar a correr bem nas hostes quer academistas quer benfiquistas, os treinadores não eram bem amados, mas as equipas agradavam, reforços como Óscar Cardozo, Manuel Fernandes eram bem vindos à Luz mas as permanências de David Luiz, Luisão, Simão, Katsouranis eram realmente do agrado dos benfiquistas; do lado da Académica a aquisição de Lito, empréstimos de Ivanildo e Hélder Barbosa somando o regresso de Joeano permitia à AAC pensar num ataque veloz e eficaz, a manutenção de Filipe Teixeira e Roberto Brum seria fundamental e todos os academistas viam a equipa jogar num 433 de alas rápidos a fazer a vida negra às defesas adversárias. Pelo meio o Benfica perde Micolli e Karagounis mas ninguém se importa porque o sr. 9 Milhões (Cardozo) e Manuel Fernandes eram superiores e a Briosa perde Alexandre e Lino jogadores que nunca foram estrelas mas sempre cumpriram.
Após alguns jogos amigáveis notava-se o trabalho que os dois técnicos Fernando Santos e Manuel Machado tinham pela frente.
O SLB apesar de ter mantido o seu 442 losango não deslumbrava, tinha vários jogadores no plantel com situação indefinida ( Manu, Stretanovic, Mao Tsé-tung do Seixal, Anderson) a defesa errava infantilmente, e o ataque era perdulário.
A Briosa manteve as redes bem guardadas, apesar de já ter perdido Roberto Brum importantíssimo na manobra defensiva da equipa, contudo o seu ataque era ineficaz. O esquema táctico da Briosa mantinha-se tão confuso como no ano anterior, variava de forma espectacular e surpreendente entre o 352 o 343 o 433 o 442 clássico e até o losango, enfim a caixinha de surpresas táctica mantinha-se.
Numa altura crítica da preparação das equipas Académica e Benfica perdem o seu jogador mais criativo e fundamental, Filipe Teixeira e Simão Sabrosa respectivamente. A incrível coincidência é que a partir daí tudo cai como um castelo de cartas. O pouco de bom que o SLB tinha construído eram as certezas tácticas que se tinham adquirido com um onze que não fugiria muito do 442 losango com:

Sendo que Katsouranis iria lutar por um dos 3 lugares do meio campo e que a mobilidade de Simão e fulgor de Manuel Fernandes seriam fundamentais para o Benfica durante a época. Com a saída de Simão o 10 vagabundo do Benfica ficaria sem dono, sendo que o cérebro estava lá (Rui Costa) vai daí contrata-se 3 ilustres desconhecidos sem grande experiência “O NOVO EUSEBIO” Freddy Adu, o Mágico Di Maria e o ex-futuro craque Andrés Diaz.
A Briosa se estava mal pior ficava, não é que para jogar em 433 fechadinhos seja necessário um grande 10, mas dava jeito ter um jogador como Filipe Teixeira que tinha boa visão de jogo, que conseguia progredir com a bola controlada, decidir um jogo com uma jogada, com um passe ou com um remate, enfim ele faria a diferença em qualquer sistema. Para colmatar a vaga do 10 academista vem Peralta um jogador que nunca provou nada na Europa (e também não deverá mostrar nada na AAC). Certo é que a Briosa se tem vindo a distanciar do 433 imaginado pelos sócios chegando-se cada vez mais ao “o que é que é aquilo?”.
Primeiro jogo oficial da Briosa é miserável com uma derrota com o Fátima, muitos dizem que a intervenção divina este presente nesse encontro de futebol, mas quanto a mim a não presença de futebol por parte da AAC é que marcou o encontro.
Chega o primeiro jogo oficial do Benfica uma vitória “à rasca” sobre os Dinamarqueses lá de Copenhaga em plena Luz. Os adeptos ficam algo desanimados com uma exibição de terceira categoria por parte da equipa do Benfica e o treinador é de novo julgado.
Primeira jornada do campeonato a derrota da Académica é natural frente ao Sporting, o empate do Benfica menos aceitável mas o inadmissível foi o pouco trabalho e futebol mostrado pelas duas formações.

Concluindo um post longo a Académica e o Benfica viveram até segunda feira momentos semelhantes, perderam jogadores que eram referências tanto no balneário como no relvado, não estavam em sintonia com os adeptos e não possuíam clarividência táctica dentro das quatro linhas, estes sinais foram suficientes para Luís Filipe Vieira trocar de treinador e trazer um dos Messias da Luz José António Camacho bem como repensar a ideia de ter o plantel mais forte dos últimos anos, infelizmente não foram até agora suficientes para que José Eduardo Simões demita Manuel Machado e procurar reforços a sério algo que se não me engano estará para breve…


Saudações Académicas

Premonições

Fernando Santos dizia no início desta silly season que ainda ia ser aplaudido de pé pelos benfiquistas. Aconteceu ontem, à saída do Seixal...

segunda-feira, agosto 20, 2007

Up Yours! – Miss Jornada 1

Aqui está a primeira candidatura aos 500 euros do concurso mais ordinário da blogosfera. Num dia em cheio para os benfiquistas, que começou com a demissão de Santos e prosseguiu com a contratação de Camacho, eis a cereja no topo do bolo:










QUESTIONÁRIO

1 – Ser do Coxa (Coritiba) é... um orgasmo!

2 – Com que jogador darias uma voltinha?
Polga.

3 – O que é o futebol?
22 homens correndo.

4 – O que é que tu fazes melhor que ninguém?
Um boquete maravilhoso!

5 – Que fantasia ocupa neste momento o lado mais porco da tua mente?
(não respondeu)

6 – Qual foi o local mais inusitado onde já fizeste o amor?
Vestiário (masculino) de uma academia.

7 – Ninguém sabe quem tu és, podes confessar: qual é o teu maior segredo?
Já tenho um filho de 19 anos.

8 – Há alguma promessa que queiras fazer aos jurados se eles te derem a vitória?
U
m desconto especial.

9 – De que foi que nos esquecemos de te perguntar?
A minha idade.

10 – E que resposta terias dado?
Trintona enxuta!


No final do campeonato, os concorrentes do BnR Bet que chegarem ao fim da competição com mais que os 10 pontos com que começaram a prova serão chamados a votar naquela que será a Miss BnR B e arrecadará os 500 euros de prémio.

Enquanto esse dia não chega, podem treinar na caixa de comentários, tendo em conta os itens que devem ser avaliados (cf. regulamento do concurso).

PS – Ainda não nos chegou nenhuma participação para o lugar de Miss Jornada 2, seus maricas!

Aleluia! A-L-E-L-U-I-A! Allez, luia!

Se foi aqui que primeiro souberam da triste notícia, nada mais justo que seja aqui que saibam da boa nova. O infeliz está descartado, a alternativa está encontrada, falta definir o timing. Olhem para as azinheiras, o milagre acontecerá a qualquer momento. O salvador está a caminho, Vieira seja louvado.

domingo, agosto 19, 2007

Alguém anda a dormir e depois tem pesadelos

O Soneca provou hoje que a sua dispensa a custo zero foi mais um brilhante acto de gestão desportiva e financeira. Mais um.

Passatempo de domingo

Materazzi revelou finalmente as palavras que fizeram Zidane perder a cabeça contra o peito do italiano na final do Alemanha 2006:

Curiosamente, as mesmas palavras, sem tirar nem pôr, também foram proferidas no futebol português. Sabes quem as ouviu?

a) Carolina Salgado.

b) Ana Salgado.

c) ____________ .

O autor da melhor resposta c) ganha um banner no valor de 10 euros que lhe permitirá lutar pelos 500 euros do pior jogo da blogosfera e votar na eleição da Miss BnR B. Aproveitem, é só neste domingo.

sábado, agosto 18, 2007

Só tu é que não vês?



Deves estar contente, uma vez que fizeste muita questão de começarmos dando avanço aos outros. Sabes?, a fase da revolta começa a passar-me, começo a entrar na apatia própria do conformismo. Dou por mim a não sentir alegria nos golos que marcamos, e não me dói nada quando sofremos. Ao mesmo tempo, começo a fartar-me de ter na presidência do meu clube um sócio do FCP e do SCP. Começo a pensar que, se calhar, era bom que uma pontinha do dossier anónimo fosse verdade, que fosses malhar com os ossos à pildra, e que o Vale e Azevedo te expulsasse de sócio do clube do EPL. Querias estabilidade, não era? Pois aí estamos nós, estabilizados longe dos lugares do topo. Se o Couceiro fosse nosso, teria dito hoje que não estava satisfeito com o resultado, mas que tínhamos feito muito melhor que no ano passado, quando começámos o campeonato naquele mesmo estádio e levámos 3 secos de uma equipa que se viu à rasca para não descer. Hoje conseguimos não perder com um recém-primodivisionário, estamos francamente melhores. De quantos mais pontos de atraso vais precisar para perceber que o nosso treinador é um erro de casting? Estou farto de te tentar dizer que, se não dás um murro na mesa, sobra para ti. Estou pronto para jurar a pés juntos que tudo o que vem no dossier é verdade, que estava lá e assisti, que ninguém me contou, que vi com estes dois que um jagunço há-de meter para dentro. Mas esqueço tudo se chamares o Camacho. Pensa nisso.

quinta-feira, agosto 16, 2007

O dossier (pouco) anónimo comentado

Notámos que os paladinos da verdade que estão por trás do mais recente dossier anónimo do futebol português se esforçaram bastante para que o que lá vem escrito fosse do conhecimento de todos. Espalharam o confidencial .pdf por tudo o que é blog de refrência, e não podemos deixar de agradecer que tenham incluído o nosso nesse rol.

Como achamos que a informação nunca fez mal a ninguém, alinhamos nessa solicitação. Vamos passar a transcrever o documento (foda-se, o trabalhão que me deram, podiam ter facilitado a coisa, dactilografar 27 páginas de fotocópia não está com nada), em edição não revista (mantivemos os erros) e comentada.

Cá vão as primeiras 11 páginas:


Exmo Sr.
Procurador-Geral da República

Somos um conjunto de funcionários de investigação que serve esta Instituição há muitos anos. Ela, apesar do momento negro que atravessa, ainda nos merece todo o respeito pelo seu passado recheado de excelentes serviços prestados à sociedade. [Se escutarmos com atenção, conseguimos ouvir os violinos.]

Decidimos efectuar esta comunicação não só pela razão anteriormente aludida, mas também em respeito pela memória de muitos dos excelentes funcionários que a serviram. [Pronto, estamos comovidos, com as defesas em baixo, convencidos da vossa boa-fé e prontos a acreditar em tudo o que for dito a partir daqui.]

Esta Instituição ao longo dos anos da sua existência tem-se pautado por práticas de investigação, reconhecidas universalmente, tendo por objectivo a descoberta da verdade dos factos. [Então mas não iam contar-nos coisas que não sabíamos? De qualquer modo vou anotar: «... a descoberta da verdade dos factos.» Já está.]

Assistimos nos últimos anos a algumas tentativas de influenciar investigações [mas têm-no feito calados, este é o vosso primeiro dossier anónimo, não é?], tendo nalgumas delas, devido à sua mediatização, sido públicas tais intenções – recordamos os processos relacionados com a “Moderna” e “Finanças”.No entanto, nada até agora se assemelhou ao que está a acontecer com o denominado “processo apito dourado”. [Pois, quando é connosco, sentimos as coisas de outra maneira.]

A nossa desilusão inicia-se com a análise que efectuámos aos processos ainda sem a intervenção da equipa “milagrosa” e continua com as práticas infames e desprezíveis cometidas por alguns elementos desta equipa. [Bom, já este dossier anónimo não tem nada de infame nem de desprezível. Oiçamos, pois, o que têm os rotos a dizer dos nus.]

Deparámo-nos com práticas que pensávamos já estarem arredadas num estado democrático. Todo o trabalho foi efectuado com alvos previamente definidos, tendo sido para tal, cometidas inúmeras ilegalidades e efectuados actos processuais, no mínimo, de validade duvidosa. [Ah, sim, as escutas telefónicas não valem nada, nem contribuem decisivamente para «a descoberta da verdade dos factos»... Esses malandros que violam a privacidade das pessoas...]

Actos iguais cometidos por pessoas diferentes tiveram decisões diferenciadas, o que revela que a equipa do Dr. Carlos Teixeira protegeu nitidamente algumas pessoas. [Então mas eles estavam a proteger algumas pessoas, ou estavam a atacar «alvos previamente definidos»?]

Analisando quem foi protegido verifica-se que estamos perante a rede de influências das pessoas que prestaram serviços e vassalagem ao S. L. Benfica e ao seu presidente Luís Vieira. [Sem dúvida, o clube mais beneficiado nos últimos 30 anos, aliás, dirigido neste período sempre pela mesma pessoa (que nem sequer teve direito a um «Senhor» antes do nome, como costumam fazer sempre). Confirmem-me uma coisa: vocês disseram que andavam nisto há muitos anos, ou percebi mal?]

Nada nos move contra o S. L. Benfica, pois alguns até adeptos somos deste clube [Ah, pronto, assim sendo... Mas de certeza que são só alguns? Não são todos? Dava muito mais credibilidade ao documento se fossem todos. Vejam lá isso, o kit de sócio nem sequer é assim tão caro, ainda vão a tempo.] e, como é óbvio, queremos que o nosso clube vença sempre, mas não a qualquer preço. [Disto não temos dúvidas: sabemos que querem que o vosso clube vença sempre, e não a qualquer preço, que as putas estão pela hora da morte.]

Também não pretendemos ser enganados por quem, com discursos incendiados e dirigidos à populaça vai enganando os adeptos mais distraídos, “sacando” dinheiro ao clube. [Agora estou baralhado: há bocado disseram que alguns eram adeptos do SLB; agora são os do FCP a falar?]

Também a nossa conduta profissional impõe-nos a obrigação de não deixar passar em claro esta cabala. [Ai, ai, há coisas que vos traem. Vocês estão aqui em nome da verdade dos factos. Se se põem a dizer que o Apito Dourado é tudo uma cabala contra aqueles que aparecem nas escutas, tiram toda a credibilidade às personagens. Vá, vamos fazer de conta que não reparámos, estamos a acreditar em tudo até agora, continuem.]

Verificámos que o direccionamento da investigação (custa-nos empregar esta palavra, pois de investigação estes processos nada tiveram) não se ficou só pelos autos, pois o Dr. Carlos Teixeira, não conseguindo vencer o seu benfiquismo primário, entregou informação e peças processuais, previamente seleccionadas, a alguns jornalistas da sua cor, nomeadamente aos Srs. António Gomes e Rogério Azevedo. [Viram? Estes são maus e tiveram direito ao tratamento de “Dr.” e “Sr.” Quando é com o Luís Vieira é que “ele” não consegue vencer o seu antibenfiquismo primário.]

Havia que injectar a opinião pública.

Mas vamos a alguns factos [Finalmente, as 3 primeiras páginas foram só palha]:

O Sr. Valentim Loureiro [mais um senhor] sempre que prestou declarações, e quando ouvido nos vários processos sobre a informação, que lhe era fornecida antecipadamente à sua divulgação pública, das nomeações dos árbitros, disse que a mesma lhe era fornecida quer pelo Presidente, quer por um vogal do Conselho de Arbitragem da Liga. Em nenhum processo o Presidente de tal conselho é arguido. O Vogal é-o em todos. [Hum-hum]

No processo que se encontra em fase de instrução relativo ao jogo Boavista-Estrela da Amadora analise-se a acusação. É uma peça digna de figurar no Guinness World Records [Ficou-te o nome no ouvido por causa daquilo do maior clube do mundo, foi? Mas olha que o nome não é bem assim]. Inocentam-se condutas criminosas e acusam-se práticas legais, distorcendo-as. [Pois, deviam ter feito um dossier mais completo, com isso em anexo, assim não dá para analisar.]

Num jogo da Taça de Portugal S. C. Braga-F. C. Porto o Sr. Pinto de Sousa [mais um senhor] contactou os dois presidentes, quanto às suas preferências para arbitrar o jogo. O do F. C. Porto referiu que poderia ser qualquer um, menos o árbitro X. O do S. C. Braga referiu que não queria os árbitros Y, Z e W. O presidente do F. C. Porto é arguido no processo o do S. C. Braga não.
Mas mais. Analise-se as escutas relacionadas com este jogo e verificar-se-á que no final do jogo o Dr. Mesquita Machado ligou ao ex-árbitro Azevedo Duarte todo indignado por não ter sido nomeado um determinado árbitro. Também não é arguido. [Incrível. Mas não percebi bem. Queres dizer que deviam ser todos arguidos, ou que tu, perdão, que o presidente do FCP também não devia ser arguido?]

Não obstante o Sr. José Veiga ter sido escutado a solicitar que o árbitro, que dirigiria o encontro que a sua equipa realizaria no fim de semana seguinte, fosse contactado para beneficiar a sua equipa e apesar de ter ganho em casa do adversário por 0-1, o Sr. Magistrado entendeu que a matéria apurada não era suficiente. [Incrível! Então o Benfica ganha fora por 1-0, e ninguém investiga?!]

Critérios... [Realmente...]

Apesar de lhe ter sido fornecida a informação que a seguir indicamos, relacionada com a época 2004-2005 (ano em que o S. L. Benfica quebrou o longo jejum) [e o ano em que começou toda a podridão no futebol português... Este dossier vem com muitas épocas de atraso!], o Dr. Carlos Teixeira esqueceu-se de lhe dar o devido tratamento:

- As reuniões secretas entre o Sr. Luís Vieira e o Sr. José Veiga [ui, o que deve ter custado esta parte, chamar senhores aos vermes!] com o presidente e, por vezes, um vogal do Conselho de Arbitragem da Liga em locais (Bares e Restaurantes] devidamente identificados em Lisboa e cujos funcionários estavam disponíveis para testemunhar [Tudo controlado, hem?].

- As reuniões efectuadas num Restaurante em Penafiel, bastante conhecido da gente do futebol, entre o Sr. José Veiga e vários árbitros assistentes. [Onde é que o Sr. José Veiga teria aprendido estas práticas?]

- As reuniões semanais entre o Sr. José Veiga [coitado do Veiga, que nem sequer imaginava que era seguido 24 horas por dia] com um vogal do Conselho de Arbitragem da Liga na zona litoral centro do País, perto da residência deste último (por coincidência os estágios do S. L. Benfica, nessa época, eram efectuados no litoral e relativamente próximo do mencionado local). Este vogal, por sua vez, levava as indicações ao Presidente das exigências dos Srs. Vieira e Veiga que indicavam os árbitros não só para os seus jogos, mas também para os dos seus rivais.

- As reuniões entre o Dr. João Rodrigues com o Sr. Pinto de Sousa num Hotel de Lisboa. [É por isso que as contas do FCP apresentam sempre prejuízo, mesmo vendendo jogadores por inflacionados milhões, é muita despesa em vigilância constante a muitas pessoas]

- As reuniões entre o mesmo João Rodrigues, no mesmo Hotel, com vários árbitros. [Tudo o que tens vindo a elencar são erros processuais do Apito Dourado?]

- As fortes ligações do Sr. José Veiga aos Laboratórios Internacionais de Doping. [Isto é outro erro processual do Apito Dourado?]

- A promessa de contratação de um jogador do Guimarães. O Sr. José Veiga prometeu-lhe a contratação, caso não jogasse contra o Benfica. O jogador efectivamente não jogou. O Benfica tentou recuar na promessa, mas o jogador ameaçou que “metia a boca no trombone” e lá tiveram que o contratar. [Isto é outro erro processual do Apito Dourado?]

- A promessa de contratação de um jogador do Estoril antes do “famoso” jogo Estoril-Benfica no Algarve. O sr. José Veiga jantou com ele num Restaurante da linha do Estoril, tendo-lhe prometido a sua contratação, caso facilitasse a vida ao Benfica. As facilidades aconteceram, mas a contratação não. [Isto é outro erro processual do Apito Dourado?]

- As reuniões efectuadas na semana que antecedeu o atrás citado jogo com vários jogadores do Estoril com o Sr. José Veiga e nalguns casos com o seu primo (o homem forte da segurança. Foi o autor da agressão no Aeroporto de Lisboa, quando o Sr. Luís Vieira foi “raptar” o jogador Moretto ao Brasil [aposto que ainda hoje te arde a cara quando falas nisso]).

Foram efectuados pagamentos pelo primo do Sr. Veiga, ao que consta, ao guarda-redes do Estoril. Sobre estes factos existiu a disponibilidade em falar dum elemento do Estoril. Aliás o homem propunha-se contar, não só, tudo sobre esta “novela”, mas de muitas outras que tinha conhecimento do Sr. Luís Vieira. [Pagaste tudo por atacado? Ou quando ele disse que era o LFV que estava por trás do ataque às torres gémeas achaste que era demais?]

- As escandalosas arbitragens dos Srs. João Ferreira, Hélio Santos, Elmano Santos, Bruno Paixão, entre outros. Mas destas não interessava solicitar análises aos peritos. [Nem outras, nem outras, e se todos nós vimos coisas escandalosas, tipo a bola entrar na baliza e não ser golo]

- As ligações do presidente do Belenenses aos Srs. Luís Vieira, Cunha Leal, Tinoco Faria, Pedro Mourão, Frederico Cebola que influenciaram a decisão no caso “Mateus”. Foram inclusivamente denunciados os pagamentos que foram efectuados a alguns destes senhores por alguns escritórios de advogados. [Isto é outro erro processual do Apito Dourado?]

O Gil Vicente também gostará de saber que não foi prejudicado só na época passada, com intervenção do Sr. Luís Vieira. Ele pagou ao “paineleiro” Fernando Seara cerca de 100 mil contos (s/ recibo) para conseguir que o Alverca ficasse na 1.ª Divisão (era satélite do S. L. Benfica), prejudicando o Gil Vicente. Consta que o atrás referido “paineleiro” se juntou (falamos de escritório), há relativamente pouco tempo, ao já citado João Correia. [Isto é outro erro processual do Apito Dourado?]

Existiam nos autos indícios quer em quantidade, quer devido à sua relevância que justificariam, caso o Magistrado fosse isento, que os Srs. Luís Vieira, José Veiga, António Salvador, João Rodrigues, Tinoco Faria, Luís Guilherme, Cunha Leal, António Duarte, Pedro Mourão, Frederico Cebola, Paulo Relógio fossem colocados sob escuta, mas tal não interessava. [Portanto, enquanto não se escutarem os criminosos todos, os primeiros 48 não contam, certo?]

Consta que houve interferência do Dr. João Correia junto da estrutura sindical do Ministério Público que, como se verifica, terá surtido, até agora, efeito. Será por ele fazer parte do Conselho Superior do Ministério Público?

Entretanto nova fase surge no “processo apito dourado”.

Aparece um livro e surge a equipa “milagrosa”.

Vamos à sua constitição.

Comecemos pela Dr.ª Maria José Morgado.

O seu marido trabalha há alguns anos para o Sr. Luís Vieira recebendo, sem recibo, elevadas quantias em dinheiro, mau grado não se coibir de criticar tudo e todos, nomeadamente as fugas ao fisco. [Pensávamos que não gostavas que se atacasse uma pessoa só porque tem um cônjuge da pior espécie.]

Quando a Polícia iniciou, com o comando da Dr.ª Maria José Morgado, o afamado processo das Finanças, recordar-se-á V. Ex.ª que o mesmo se tinha iniciado com uma comunicação que circulava no interior das Finanças denuciando a forma como havia sido vendida a Fábrica das Louças de Sacavém.

A mesma fora adquirida por negociação directa por uma empresa de que o Sr. Luís Vieira era sócio por um preço quase anedótico [tipo os terrenos que o Cardoso te vendeu e que lesaram a câmara do Porto em milhões?]. Na altura apurou-se que viviam no Condomínio Privado que entretanto ali fora construído pela empresa compradora quatro Directores de Finanças. [Coincidência do caraças, parece que nos terrenos a que aludi também construíram um condomínio privado onde moras tu e uma data de malta amiga.]

O que resultou para o Sr. Luís Vieira? Quanto sabemos, até agora, nada. [Outra coincidência, foi precisamente o mesmo que resultou para ti e para o antigo presidente da CMP. Ele há coisas...]

Na altura em que o processo decorria, o marido da Dr.ª Morgado escrevia pelo Natal no Expresso um artigo que denominava “Conto de Natal”. Fazia-o “camuflado” tentando atingir alvos concretos [e se nós sabemos que de artigos camuflados percebes tu!]

Recordamos que efectuou um direccionado ao Sr. Vítor Santos – Bibi e, no ano em que o processo atrás referido se encontrava em fase de investigação, um que era direccionado à então Ministra da Justiça que, de forma cobarde, intitulou de “Etelvina”. [Uma cobardia, de facto, isto dos dossi artigos camuflados.]

Acusava-a de ter subido na vida à custa de práticas de baixa índole. Mais tarde ele e a mulher fizeram correr a notícia de que o processo não tinha tido êxito por interferência da Ministra para proteger um Director de Finanças.

Correlacione V. Ex.ª os factos e retire as devidas ilações. [Não pode ser, para se correlacionar isto, tem de se correlacionar todos os factos semelhantes primeiro, senão não tem valor e passa por cabala.]

Quanto ao Dr. Carlos Farinha, pensamos que terá sido escolhido para a Dr.ª Morgado o “premiar” por ele se ter mostrado solidário e ter pedido a demissão quando ela fez o mesmo.

À nomeação do Sr. Sérgio Bagulho já lá vamos.

Quanto aos outros elementos não queremos tecer grandes comentários, mas sempre diremos que estranhamos a nomeação do titular do processo “Mantorras”, processo que se encontrava em investigação.

Terá sido para o processo ser “exterminado” de vez?

Pensamos que sim, pois deram tempo para que o Sr. Luís Vieira montasse a sua estratégica [sic] de defesa.

Sobre este processo já nos debruçaremos mais adiante.

Quanto ao Sr. Bagulho eram conhecidas as suas fortes ligações ao clube S. L. Benfica e ao seu presidente Luís Vieira, com quem era visto frequentemente a jantar em Restaurantes de luxo da baixa lisboeta. [É um verdadeiro SIS privativo, o Quaresma tem de ser vendido por 97 milhões para cobrir a despesa toda.]

Constava que era o seu novo “Suzano”, ou seja um dos seus homens de mão para efectuar trabalhos sujos, nomeadamente algumas cobranças.

O Luís Vieira conhecia factos que revelados poderiam acabar com a sua carreira e jogava com eles, “obrigando-o” a fazer aquilo que queria. [Ai, o malvado, e nem sequer teve de pagar essa investigação.]

Era também comum ver-se o Bagulho a “pavonear-se” nos camarotes presidenciais do Estádio da Luz.

Alguém de boa fé nomearia este homem para estre processo?

Entretanto, o Dr. Carlos Farinha aandona a equipa, pois tem que ir cumprir uma comissão à Madeira.

Quem é que aparece?

O Sr. Manuel Carvalho.

Nos corredores da Polícia consta que quem o indicou foi o Dr. João Correia, advogado com quem o Sr. Carvalho se reúne com frequência para receber directrizes, quanto ao caminho enviesado a dar ao processo.

Sabemos, e só estamos a constatar um facto [queres dizer que, desta vez, não estás a inventar nada?], das dificuldades financeiras que o Sr. Carvalho tem passado devido a uma desastrosa incursão no mundo empresarial.
Durante esta fase do processo circulou muito dinheiro com proveniência do Sr. Luís Vieira e com diversos destinos.

A D. Carolina tem sido um dos seus destinos preferidos, tendo o seu último recebimento sido efectuado pelas mãos “sujas” da Sr.ª Leonor Pinhão.

Esta entregou-lhe cinquenta mil euros com a indicação que não os depositasse em Portugal.

A D. Carolina cumpriu e deslocou-se a Tuy, onde efectuou o depósito no Banco Santander [ui, os detectives até têm de ir ao estrangeiro, isto não sai nada barato].

Outro dos destinos do dinheiro do Sr. Luís foi o pai da D. Carolina que igualmente se deslocou a Espanha para depositar as quantias recebidas.

Já que falámos da Sr.ª Pinhão, ideóloga do livro que originou a reabertura do processo, questionámo-nos de qual a razão da equipa “milagrosa” só ter usado o livro da D. Carolina e não outros escritos de credenciados jornalistas que denunciavam várias ilegalidades cometidas pelo Sr. Luís Vieira? [Hum, quem serão estes credenciados jornalistas?]

Será o poder discricionário...

A título exemplificativo referimos o jornalista António Tavares-Teles que quase diariamente denuncia factos relacionados com o Sr. Luís Vieira – vide artigos recentes no jornal “O Jogo” em 8 e 9 de Junho de 2007. [Ahahahah! O Pato é jonalista credenciado? Toda a gente sabe de quem é a mão que manipula esse Donaltim, é natural que lhe não dêem crédito. Espera, tenho de me rir outra vez: o Pato é jornalista credenciahahahahahah!]

Por que razão não se investigam os artigos dos jornais Público dos dias 29 e 30 de Março de 2007, ambos na pág. 26 e Correio da Manhã de 10 de Maio de 2007-pág. 24? [Mais uma vez te digo, devias ter anexado isto ao dossier, assim ninguém sabe do que estás a falar]

A escritora do livro (que foi considerado relevantíssimo elemento de prova, tendo originado as reaberturas de inúmeros processos), Fernanda Freitas, disse (citamos): “Estou arrependida por ter pactuado por desconhecimento de causa com falsidades e invenções no texto que escrevi” [Quanto é que isto terá custado? E eu a pensar que as mentiras e falsidades eram só aquelas posteriores ao trabalho de revisão, aquelas que não coincidem com o original, mas afinal não.]

Alguém terá considerado esta afirmação? [Essa afirmação vale muito menos do que o que pagaste por ela, só tu lhe deste valor. Eu sei que custa investir em vão.]

Sabemos que existem vários crimes (furtos, fogo posto, tentativas de homicídio), cujos autores materiais já confessaram e imputaram a responsabilidade da autoria moral à D. Carolina.

O que se passa com estas investigações e com a entrevista publicada no Correio da Manhã de 14 de Maio de 2006 em que um indivíduo exibia objectos furtados ao presidente do F. C. Porto e denunciava um plano de extorsão?

Como é possível manter-se em liberdade alguém que cometeu tantos crimes com um grau de perigosidade tão elevado. [Estás a falar de ti, não estás?]

Parece-nos, salvo melhor opinião de V. Ex.ª, que o quadro legislativo português não prevê a figura de “arrependido” [É só por isso que não te arrependes de nada do que fizeste?]

Qual o motivo de tal protecção e que “taxa de juros” seremos obrigados a pagar? [Não te preocupes, que não hás-de pagar nada, mas gosto de te ver assustado desta maneira.]

Mas já que falámos em crimes cometidos é altura de abordar a agressão ao Sr. Bexiga [Acho que sabes do que falas, vou ouvir-te com atenção.]

Uma conceituada jornalista que colaborou com vários jornais de referência [Oh, já estragaste tudo, sabemos o que queres dizer quando falas em «conceituados jornalistas»] ao abordar a D. Carolina sobre a autoria deste crime referiu-lhe:
“Então vocês vão cometer uma agressão num parque de estacionamento? Não vêem que foram filmados pelas câmaras de filmar”.

A D. Carolina retorquiu: "Eu não brinco em serviço. No dia anterior mandei destruir as câmaras”.

Para V. Ex.ª fazer um juízo sobre a maquinação que foi montada providencie no sentido de verificar se alguma vez aquele parque possuiu câmaras de filmar. [Estão todas alocadas ao filme “Corrupção”]

A resposta que obterá será: NUNCA!

A Sr.ª Pinhão nas reuniões que efectuou frequentemente no Restaurante Le Petit e no Hotel Mundial com a D. Carolina esqueceu-se de pormenores importantes.

Como ideóloga também terá sido a Sr.ª que instigou a D. Carolina a cometer os crimes atrás aludidos? [Vamos lá perceber uma coisa: o livro conta o que fizeste, não é um guião do que tu tinhas de fazer.]

Retratá-los-á na sua “fita”? [Deixa-te tu de fitas, prova que as vozes que aparecem nas escutas são montagens de diálogos do Contra-Informação.]

Nem todos são ingénuos Sr.ª Pinhão, mas reconhecemos que a Sr.ª tem alguma esperteza. [Mas tu agora diriges-te a quem? Lembra-te da personagem que estás a assumir: és um conjunto de agentes da PJ dirigindo-se ao procurador-geral da República. Ai, ai, a idade não perdoa...]

No entanto, no dia em que Deus distribui a inteligência a Sr.ª acordou tarde, como é habitual [também foste seguida, Leonor, eles até sabem a que horas costumas levantar-te], e ficou no final da fila [Ai, reconhece-se a fina ironia do senhor presidente, que vai ser gabada por todos os que não conhecem uma piada com umas barbas maiores que a do irmão.]
Infelizmente, este é um dom que não se compra em qualquer Centro Comercial [A sério, estás mesmo convencido de que tu é que és inteligente, e que consegues enganar todos à tua volta durante todo o tempo? Assim vai doer mais.]

Terminam aqui as primeiras 11 páginas de um documento de 27. Sinceramente, não me está a apetecer bater as restantes. Podia pensar-se que o documento desmontava a cabala contra o presidente do FCP, mas não, limita-se a dizer que «o outro menino também roubou bolachas».
Portanto, acaba por assumir todas as acusações de que é alvo, quem sabe aliviado por muitas mais não virem a lume. E não deixa dúvidas nenhumas sobre quem o redigiu. É mais um crime. Só me admira é como é que, com tantos rabos de palha, não há um que pegue fogo. Deve estar tudo ocupado com casos como o da idosa que tentou furtar um produto de 3,99 € no Lidl.

quarta-feira, agosto 15, 2007

Re-análise

Ainda o SCP-FCP para a Supertaça:

Na minha perspectiva, o lance do Tonel na grande área do SCP não é penalty. Não vislumbro qualquer gesto brusco ou intencional para tocar a mão com a bola. Acho que é bola na mão!

À luz das regras e segundo o entendimento dado ao lance por especialistas, o árbitro deveria ter marcado penalty! Não marcou! Lamento! Já tinha má opinião dele, que desta vez saiu reforçada. Estas situações devem ser eliminadas..ou amanhã seremos prejudicados pelos mesmos que hoje nos beneficiam.

Paixão, vai à merda!

P.S: Os lamps necessitam urgentemente de dois centrais. Parece que o alfinete e o seu pupilo brasileiro não saberão jogar segundo as novas diretivas que os árbitros possuem. Especialmente no seu ponto 2.

Joe, o Psicólogo...

Sem os Lamps darem por isso..têm uma excelente contratação para a actual temporada: um psicólogo, metido a negociador de arte, metido a especulador bolsista ou será ao contrário? Não sei! Se calhar não interessa...importante são as suas sábias palavras:

"Por mim, há muito que não há nenhum problema. Ainda bem que as minhas palavras serviram para alguma coisa... Olhe, ainda bem que eu o espicacei..."

"Se algum dos golos poderia estar numa exposição? Sem dúvida. Ambos os golos são muito bonitos e importantes"

joe dixit

terça-feira, agosto 14, 2007

Ou dás um murro na mesa, ou sobra para ti

Ó Vieira, esquece lá a resposta ao presidente do teu outro clube, responde-nos antes a nós, que só temos o Benfica, que acabou de empatar 2-1 com o Copenhaga:
MAS QUE MERDA VEM A SER ESTA?!

A CAVALA



EH PAH, UH! TEMOS COM CADA SURPRESA...NEM SEI POR CARGA D'ÁGUA A LEBRE É LEVANTADA...A UM IMPOLUTO, UM JUSTICEIRO, UM PALADINO, ETC E TAL, COMO A MIM...É UMA CAVALA!!! NA VÉSPERA DA LC..O MANELÉLÉ E AGORA ISTO, UH! NINGUÉM SAI...UH!

CAVALA

domingo, agosto 12, 2007

Depois digam que sou eu que invento coisas

Hum, hum... Na imagem, podemos adivinhar a coisa especial que a Floribella está a sentir ao fundo das costas. Depois do míssil, deve ser a ogiva nuclear.

Este post é dedicado ao 40 Postas, que se fartou de insistir para que eu escrevesse qualquer coisa a respeito do grande jogo de ontem. Só não faço caridade quando não posso.

Tenho um sorriso de orelha a Orelha(s)

Para ser mais preciso, o meu sorriso vai daqui...       até aqui.

sábado, agosto 11, 2007

Mais uma


Seis Supertaças já cá moram, primeiro titulo da época, para uma equipa que avisou que para eles ganhar é como lavar os dentes, só tenho a dizer, ainda que muito ganhem têm sempre mau hálito, mas hoje ficaram mesmo foi assim:




PARABÉNS SPORTING!!!!

sexta-feira, agosto 10, 2007

BnR Bet – Edição 2007-2008

Bem-vindos à terceira edição do pior jogo do mundo com o melhor prémio da blogosfera (quer dizer, se souberem de algum melhor, avisem-nos, que também estamos interessados).

Quem já sabe do que se trata pode ficar descansado, que não há significativas alterações em relação à época passada. Quem não sabe... vai ficar a saber agora.


Image BnR Bet
Chama-se BnR Bet e foi a maneira que arranjámos de um anunciante deste blog recuperar o investimento que fez aqui em publicidade (quem é amigo, quem é?).

Para tal, só tem de provar que percebe de bola um bocadinho mais que os outros. E quando dizemos «um bocadinho mais», é literalmente. No ano passado, bastaram 3 décimas.

Se para ti o futebol não tem segredos, se estás por dentro dos cambalachos, se percebes mais disto do que as aventesmas que costumam passar por aqui, é como limpar o cu a meninos, mas de uma forma muito mais agradável.



Podem participar, de forma inteiramente gratuita, todos os anunciantes do BnR B. Para te tornares anunciante deste blog, imagina tu, só tens de anunciar qualquer coisa aqui. Faz-nos uma proposta. Temos espaço no cabeçalho para milhentos banners de 420 x 60 pixels em rotatividade aleatória.





    • Cada banner dá direito a 10 pontos. Esse é o teu orçamento inicial para chegares à vitória.

    • Todas as jornadas, com base na opinião do patrocinador da liga, publicamos um boletim com os os índices de probabilidade dos resultados do campeonato nacional.
      Tu só tens de declarar, na caixa de comentários desse post, quantos pontos decides apostar num único resultado possível. Pondera bem, porque tens apenas um tiro. (Podes, no entanto, hesitar à vontade; o último palpite que fizeres anula os anteriores.)

    • Ah, e só podes apostar os pontos decimais quando já não tiveres inteiros para apostar.

    • Se a aposta se revelar acertada, multiplicas os pontos apostados pelo índice de probabilidade e somas esse produto aos pontos que deixaste intocáveis. Por exemplo: se tens 10 pontos e decides apostar 8 num resultado que vale 3,30, os cálculos que deves efectuar são os seguintes: 2 + (8 x 3,30) = 28,40

    • Se a aposta falhar, são-te subtraídos os pontos apostados. No exemplo anterior, seria: 10 - 8 = 2.

    • Sais do jogo quando já não tiveres pontos.

    • Podes voltar a qualquer momento, repetindo todo o processo.

    • Quem chegar à última jornada com mais pontos que os outros é o campeão. Em caso de empate, o prémio é rachado.

    Desta vez, garantimos à partida, independentemente do número de participantes, um prémio superior ao do ano passado (para quem já não se lembra, foram 430 euros para o bolso do Jou, um bocadinho mais do que os 50 que O Visconde Era Gay arrecadou na primeira edição): 500 euros.

    Este prémio ainda pode ser superior (oxalá não, oxalá não) porque nos penalizamos com um incremento de 10 euros sempre que for detectado um erro na tabela classificativa. Queremos com isto demonstrar que não nos enganamos dolosamente. Quem achar um erro ganha uma vida extra, tal como no ano passado. Portanto, olho vivo. Os eventuais erros não detectados antes da publicação da tabela seguinte passam a ter força de lei.


    Todos os participantes que chegarem à última jornada com mais que os 10 pontos iniciais (portanto, com um mínimo de 10,01 pontos) têm direito a votar nas melhores febras do Up Yours!, concurso que atribui outros 500 euros à participação mais votada.

    Significa isto que há quem possa jogar em dois tabuleiros e habilitar-se a um prémio que nunca será inferior a 1000 euros (500 + 500-ou-mais).

    Futebol, febras e fantásticos prémios... é assim que retribuímos os insultos que fazemos por merecer.

    Chega de conversa fiada, passa pela secretaria e faz-te ao piso:



    PS – Se alguém quiser desfazer dúvidas em tempo real, pode adicionar o meu e-mail a este programinha.

    quinta-feira, agosto 09, 2007

    Pregar para outra freguesia...

    Eusébio diz não à droga na Estónia

    Sem dúvida alguma que este ditado português se aplica que nem uma luva à generosa iniciativa do Eusébio! Para os lados do Colombo nem querem ouvir falar disto! O Nuno Assis, em particular! O LFV agradece a iniciativa!

    Uma OPA no país dos Lamps

    Lembram-se do 'sucesso' que foi a subscrição das acções lampiónicas em 2001 relativas ao aumento de capital?
    Lembram-se que o 'sucesso' foi condicionado pela 'compra', por vilarinho, dos milhares de papéis que ficaram vender?
    Lembram-se que um grupinho de 'notáveis' lampiónicos que se juntaram e pediram empréstimos bancários para comprarem o 'papel' que ninguém quis comprar?

    Pois é....parece que o caldo entornou...parece que um artista não pagou o empréstimo...parece que não se sabe a quem pertencem dois lotes de acções...
    Ainda assim decorre uma OPA e, segundo o Joe e a actual cotação das acções, deverá haver muitas mais!
    Surpreendido? Não estejas...the lamp way of life é assim mesmo!

    lampionices