segunda-feira, outubro 29, 2007

Floribela as melhoras...volta rapidamente!!!


Memória curta e falsos adeptos...

Pois é, capa de domingo do jornal Record (publicação que os taxistas continuam a dizer que apoia o Sporting): "CHEIRA A CRISE", era este o título!
Cheira a crise a onde? Na redacção do dito jornal? Nas cuecas dos falsos adeptos que foram para o aeroporto protestar?! E esses mesmos falsos adeptos quem indicam para substituir neste momento Paulo Bento?! Mourinho? De certeza que ainda não perceberam a realidade do clube leonino... só pode!
Paulo Bento tem errado... a sua teimosia (ou o penteado) não o deixa ver o óbvio. Desde que se viu privado do melhor jogador leonino (Anderson Polga) , o treinador português, ao fazer descair Miguel Veloso para a posição de central, partiu a espinha dorsal toda da equipa e os processos atacantes têm sido uma nulidade... Mas falemos daqui a 2 semanas da tal crise... Porque perder com a Roma, no Estádio Olímpico (ainda ontem despachou, só, o campeão europeu) é sinónimo de crise?! Empatar na Choupana, onde, nos últimos 5 anos, o SCP só conseguiu uma vitória? Também não me parece que se possa chamar CRISE, mas deixo já bem claro que empatar com o Nacional Brasil do Cabrão Alves nunca pode ser um bom resultado!
Vamos eliminar o Fátima, afundar a Naval na próxima jornada do campeonato e terminar com uma vitória sobre a AS Roma e aí já estará tudo constipado e não lhes vai cheirar a nada!

PS: Espero que na próxima quinta-feira ninguém venha para aqui dizer que a Taça da Liga não presta e blá blá blá blá...

domingo, outubro 28, 2007

Estava a ver que não podia gozar com os lagartos descansado #2

Love is in the locker room

E se eu vos dissesse que há, no plantel de um dos grandes, dois jogadores que estão a a l a r g a r o campo semântico de expressões do futebol como «marcação homem a homem», «entradas por trás», «bolas na mão ou mão nas bolas», vocês ficavam com água na boca, não era, meus maricas de merda? Pois bem, só dou a informação a quem enviar uma febra, que ainda não chegou nenhuma para a jornada 8. E não adianta virem pelo msn tentar tirar nabos (salvo seja) da púcara, vão chatear o gajo do Blog da Bola.

sábado, outubro 27, 2007

Para quê atravessar o Atlântico?

Confesso que o V. Guimarães-U. Leiria conseguiu agarrar-me ao televisor.

No fim dos 90 minutos, três certezas:
- Ainda bem que ganhou o V. Guimarães;
- Duarte Gomes fez de El Solitário e a U. Leiria de banco sem câmaras de vigilância;
- Andrezinho é um jogador de qualidade que merece, no mínimo, alguma atenção

Este último ponto leva-me a questionar por que razão os clubes portugueses vão ao Brasil passear para descobrirem, depois, um ou dois craques da areia.

Só em Guimarães podemos ver, semana após semana, dois bons laterais (o citado mais Luciano Amaral) e um central que vai dar que falar (Geromel). No Restelo, em fim de contrato, está um um jogador que promete - Ruben Amorim. Subimos em direcção a Leiria e, por favor, digam-me se João Paulo tem mostrado menos do que Bergessio ou Purovic na actual temporada. Não digo que seja melhor, pergunto, isso sim, se tem mostrado menos - e isto para não falar de Makukula.

Não vou ao ponto de comparar estes dois avançados portugueses com Cardozo. Sinceramente, dá para ver que o potencial do paraguaio engana pouco. Bem servido, como o foi realmente na quarta-feira, tem fortes possibilidades de ser o ponta-de-lança que o Benfica não tem de há muitos anos a esta parte, provavelmente desde a fugidia passagem de Deane pela Luz.

PS - Para aqueles que dizem que não gosto de Paulo Bento, pelos vistos muito apreciado em Sevilha, aposto que o Sporting ganha hoje fácil, fácil.

sexta-feira, outubro 26, 2007

BnR B apresenta novo reforço


Como todos já devem ter reparado, a parte sáuria deste blog anda um bocado em baixo. O Sarrafeiro tem andado desaparecido, a Streaker deixou de dar o corpo ao manifesto, o Antão sempre preferiu a caixa de comentários ao pelado principal, e o Pitons contraiu uma lesão que o afasta dos relvados durante um período indeterminado. Impunha-se uma ida ao mercado.

Gostaríamos de vos apresentar um reforço como o Bulhão, mas não temos orçamento para isso. Assim, falámos com o “Carlos Freitas” (está descansado, Paulo Abreu, que não digo a ninguém que foste tu), que nos recomendou um artista igualmente caro, mas com menos provas dadas.

Visionámos apenas duas cassetes e um vídeo do You Tube, mas o que nos fez partir decididamente para o contrato foi quando ele disse que era um produto da Academia Dias Ferreira. Aí, meus amigos, eu sorri de orelha a orelha, como se fosse o presidente do Benfica ou mesmo o José Rodrigues dos Santos fantasiado de elefante africano, e apressei-me: «Assina aqui!» (Na verdade, pedi-lhe um autógrafo, ele nem percebeu que era um contrato.)

Eu fiz-lhe um pequeno briefing, que incluiu noções de Blogger, mas o rapaz não sabe ao que vem (se soubesse, não tinha assinado), não imagina que isto é o lugar menos recomendável da blogosfera, desconhece que vocês são um tribunal mais injusto que O Tribunal d'O Jogo, e ignora que esta terá sido provavelmente a pior decisão da sua vida.

O que eu vos garanto é que, apesar da vossa desconfiança, se trata de uma aposta pessoal minha, capaz de garantir 20 golos por época e que custou a módica pechincha de 9,5 milhões. Só têm de lhe dar tempo, que é uma estreia na blogosfera. Sim, meus amigos, estou convicto de que será uma inegável mais-valia para este blog, sobretudo num determinado sector onde sempre estivemos carenciados (não especifico qual, digo apenas que é um dos 734529 sectores). Apesar de ele ser especialista nessa tal área, a sua indisciplina táctica vai levá-lo para terrenos onde não estará tão à vontade, fugindo para a frente, chorando ora baba, ora ranho, em risquinhas sobrepostas. Azar. Como é lagarto, não peço que sejam brandos com ele, dêem-lhe com força.

Com o esforço que quiseres, com a dedicação que achares por bem e com a devoção que não merecemos, sê bem-vindo, Pipirazzo, oxalá encontres a Streaker Glória.

BnR Bet – Jornada 8

Nunca foi tão fácil ganhar 500 euros, só tens de demonstrar que percebes de bola um bocadinho mais que os 24 malucos que figuram na lista do post anterior. E reapara que, se entrares nesta jornada, os teus 10 pontos iniciais colocam-te logo ao nível do 11.º classificado.

Posto isto, posta a tua aposta!


BnR Bet – Tabela classificativa J7

Jornada7



  • Como se comprova uma vez mais, no pior jogo da blogosfera não há vencedores antecipados. T-Rex, que lidera esta prova desde o início, fazia-o 100% vitorioso, aumentando a vantagem de jornada para jornada, desmoralizando a concorrência com um pecúlio que ia quase nas duas centenas de pontos. Dois desaires seguidos devolveram a emoção a esta maratona, lembrando a todos que não interessa como se começa, o importante é como é que se acaba. Jesualdo Ferreira também vai perceber esta verdade.

  • Na corrida pelos 500 euros, Quinhentinhos toma posição para fazer uma OPA ao 1.º lugar. Se não me falham as contas, este é um daqueles que ainda não perderam pontos nesta prova.

  • Ratogoleador aproveitou muito bem o queijinho da ilha madeirense. É que a sua aposta no empate dos Barreiros não só lhe permitiu aproveitar os 70 pontos que o líder desbaratou no Marítimo como também lhe permitiu roubar o 3.º lugar ao Insurrecto, que caiu na mesma esparrela.

  • Nota ainda para o "regresso" do campeão. Jou emergiu da negatividade para o 7.º posto e é um adversário a ter em conta.

  • Pela negativa, há a assinalar a despedida de uma mão-cheia de concorrentes. D'Arcy, Humanista, Antitripa, Red Glock e o antigo campeão O Visconde Era Gay foram ao tapete nesta 7.ª jornada. Será que têm força para se levantar uma vez mais, como o tapete de Alvalade?

  • Uma chamadinha de atenção ao Zhero, que figura provisoriamente nesta tabela. Tu foste eliminado na 6.ª jornada. Podias, de facto, regressar na 7.ª, mas não te vimos na secretaria a tratar das formalidades. Se quiseres reentrar na luta pelos 500 euros, meu amigo, ou ganhas mais uma vida num daqueles passatempos idiotas que de vez em quando promovemos, ou compras um bannerzito. Vê lá com a tua federação onde é que está o teu passe internacional, para eu saber se te mantenho na tabela ou não.

  • Ou então, Zhero, verifica se há algum erro nos números desta tabela classificativa. Cada erro encontrado vale um banner ao seu delator, e nós (eu, eu) ainda nos penitenciamos com um incremento de 10 euros ao prémio final, tentando demonstrar que os eventuais erros são mesmo deficiências académicas ao nível da matemática ou pura distracção, nada de dolo, má-fé ou apitos dourados. Mas cuidado com os falsos testemunhos, que também podem ser punidos. Por exemplo, o Pedro devia ter visto subtraídos 10 pontos por ter levantado um infundado protesto na última jornada. Valeu-lhe a habitual amnistia do primeiro dia da nova lei, altura em que os agentes da autoridade costumam ser acometidos de alguma tolerância e condescendência.

quinta-feira, outubro 25, 2007

Existe melhor "escola de formação" no mundo que a Leonina?!?

Pois é, camaradas, aqui vai um repto para todos vós... Existe aqui alguém que me consiga indicar um clube no mundo que tenha produzido tantos e tão bons jogadores ao longo das últimas
DÉCADAS, como por exemplo: Paulo Futre, Luís Figo, Simão Sabrosa, Ricardo Quaresma, Cristiano Ronaldo e Nani? Quando o fizerem, aí, sim, podem vir falar sobre erros infantis das grandes promessas leoninas no último jogo na cidade de Roma...

Pronto, já posso gozar com os lagartos? Cá vai:

A formação do Sporting é tão boa, tão boa, que até os erros infantis têm lugar na Champions.

quarta-feira, outubro 24, 2007

Confirmem-me só uma coisa:


Quando Cardozo marcou o golo, todos os que assistiam ao jogo,
tanto os que puxavam pelo Benfica como aqueles que torciam contra
o Benfica, ainda que com diferentes entoações, todos soltámos um *foda-se!*, não foi?

terça-feira, outubro 23, 2007

Expliquem-me bem devagarinho


Como a maioria dos leitores do BnR B já percebeu, o Iron&Ismus, o Iron, ou simplesmente o Ismus, não tecem as loas que a maioria da imprensa faz ao Paulo Bento. Muito menos engole o trabalho fantástico que o treinador do Sporting ilusoriamente tem feito. Mas quanto a esse mago da bola já lá vamos.

Para já, gostaria que me explicassem como se eu tivesse 10 anos, mas muito pouca paciência para aturar o Jorge Gabriel, como é que se planifica uma viagem, para um jogo da Liga dos Campeões, sem ver as notícias da semana anterior.

Pois bem, em todos os jornais veio a greve dos controladores aéreos do aeroporto de Roma agendada para dia 22. Treino cancelado, malas extraviadas, desgaste acumulado com três horas de atraso e uma conferência de imprensa dada às três pancadas, ainda de fato, porque a UEFA está a borrifar-se para a incompetência do Sporting e da agência Cosmos.

A greve estava agendada há duas semanas e na semana passada foi tema em mutos diários deste país. Ninguém quis saber. Viva a competência.

O duelo já era desigual, assim muito pior vai ser.

Agora vamos ao mago da bola.

O sucessor de Mourinho – deve ser, pelo que leio – resolveu castigar Stojkovic e os adeptos do Sporting. Alguém se lembra das patacoadas que Tiago deu em Milão, frente ao Inter, na era Boloni. Eu lembro-me. Mas não é preciso ir tão longe, basta recuar até sábado e ver que o milagre está perto de acontecer, ou seja, Tiago vai jogar em Roma num encontro de alto calibre.

Como não faço prognósticos no fim do jogo, arrisco um normal 2-0 para os italianos. Assim, sem doer muito.

Isto a menos que o homem, que tem a fama de lançar jovens mas que não lançou nenhum a não ser o portento Ronny, ponha em campo Rui Patrício. Mas depois, se o rapaz engatava, era chato afastar o sérvio e justificar como é que Rui Patrício não aufere mais de 1500 euros líquidos mensais...

segunda-feira, outubro 22, 2007

E volta e meia também deviam aparecer aqui gajas nuas...

É só para lembrar que diz que há uma espécie de concurso que oferece uma nota de 500, ou 100 notas de 5, ou 50 notas de 10, ou 25 notas de 20, ou 5 notas de 100, à vencedora, mas, para isso, é preciso que se candidatem, coisa que não acontece há algum tempo. As regras estão aqui, e as candidatas a concurso, até ao momento, são as seguintes:

Não se guardem para o final, porque as vagas estão contadas. Por exemplo, se nas vésperas da última jornada do campeonato nos chegarem 3 cadidaturas, só a primeira a chegar será publicada. Outro exemplo: se no decorrer desta semana nos chegarem 2 candidaturas, a primeira será a Miss Jornada 8, e a segunda, a Miss Jornada 9.

Restam, portanto, neste momento, 23 jornadas, não as desperdicem. Eu pensava que 500 euros eram incentivo suficiente, mas não contava que houvesse tantos maricas na audiência deste blog. Não faço mais posts sobre o Miguel Veloso enquanto não chegar uma febra.

sexta-feira, outubro 19, 2007

Quer-me parecer que já foste


São declarações semelhantes aos teus passes falhados: percebe-se o que querias fazer, mas saíram-te mal e valem-te assobios. Se dúvidas houvesse a respeito da tua dispensa, estas declarações devem ter desfeito todas. Querem ver o passe falhado a dar em golo na própria baliza?

terça-feira, outubro 09, 2007

Filhos de uma grande puta (agora no plural)

Um árbitro pode errar no decorrer de um jogo, toda a gente admite isso. É humano, está a correr para cá e para lá há uma quantidade de tempo, tem jogadores à sua frente, o seu ponto de vista pode permitir uma leitura diferente daquilo que realmente aconteceu, tem de decidir na hora... Tudo bem.

Um gajo descansadinho, sentado no sofá, com acesso a imagens captadas de diferentes ângulos, em câmara lenta, já não tem a mesma desculpa. Se for um ex-árbitro, supostamente conhecedor das leis de jogo, pior ainda. E se, juntando a isto tudo, for também um colaborador da comunicação social, consultado como se fosse um especialista na matéria, emitindo pareceres que explicam aos menos entendidos aquilo que toda a gente vê, o erro é imperdoável.

Veja-se como um colégio de 4 filhos da puta, todos ex-árbitros, todos conhecedores das leis do jogo, todos a falar para a comunicação social como experts no assunto, todos pagos por esse trabalho, analisa o seguinte lance nas páginas do jornal O Jogo:



JORGE COROADO:
«Nuno Gomes desmarcou-se rapidamente no ataque e leva a melhor sobre o adversário. O toque de braços é inevitável. Nuno Gomes deu dois passos em frente e deixou-se cair. Se fosse cumpridor, o árbitro devia ter exibido o cartão amarelo ao ponta-de-lança benfiquista.»

SOARES DIAS:
«Na marcação do livre contra o Leiria vê-se que os jogadores estão a agarrar-se mutuamente. O árbitro devia ter interrompido o jogo e chamado a atenção dos mesmos para a situação em causa. Não aconteceu isso e deixou seguir sem tomar atitude. No fundo não podemos considerar que existiu falta.»

ROSA SANTOS:
«Não há falta nenhuma e o árbitro deveria ter interrompido o jogo para mostrar o cartão amarelo a Nuno Gomes. E, se analisarmos bem o lance, Nuno Gomes está em posição irregular, quando a bola parte após a marcação do livre. Bem o árbitro ao não sancionar a falta, mas mal no capítulo disciplinar.»

ANTÓNIO ROLA:
«Não existe qualquer falta para ser assinalada. Nuno Gomes não sofreu qualquer falta do jogador do Leiria e o árbitro do desafio esteve bem ao deixar prosseguir o lance sem assinalar uma infracção que efectivamente não ocorreu.»

Agora comparemos as imagens e o douto parecer destas cavalgaduras com o que dizem as leis do jogo:

Lei 12


O que é que um leitor do referido jornal pode pensar disto tudo?

a) Percebe-se porque é que a arbitragem portuguesa foi tão mazinha no tempo em que estes senhores apitavam?


b) Não se prepararam convenientemente para a rubrica em que participam, desrespeitando os leitores de O Jogo?


c) Cumpriram ordens de alguém no sentido de baralhar a opinião pública, repetindo uma mentira muitas vezes até que se pense que é verdade?


d) Não percebem um cu de arbitragem, não sabem o que dizem nem dizem o que sabem?


e) Estão a comentar imagens de um qualquer outro jogo?


f) Vivem numa realidade alternativa?


g) São filhos de uma grande puta?

Eu não tenho dúvidas.

segunda-feira, outubro 08, 2007

Filho de uma grande puta



Acabo de assistir, com nojo, ao programa da TVI dedicado à Bwin Liga.

Um filho da puta (vou tentar ser criativo nas próximas referências a este filho da puta, mas não prometo nada) que já foi árbitro comenta os lances polémicos do U. Leiria-Benfica.

Com acesso a todas as imagens, este filho da puta conclui que o puxão da camisola de Nuno Gomes na grande área da equipa da casa não é motivo para grande penalidade, porque, «depois disso, o avançado benfiquista ainda dá dois passos, e só depois se atira para o chão».

Este filho da puta é burro, pensa que somos todos burros, ou precisa que alguém lhe dê um sopapo bem dado que o faça dar dois passos antes de o atirar para o chão?

Há uma repetição, passada na transmissão em directo, que não deixa margem para dúvidas, imagem curiosamente nunca mostrada nem no resumo da partida nem nesta rubrica dos lances polémicos (tal como um certo empurrão a Cardozo também nunca existiu). Qual é a ideia destes filhos da puta?

Não me interpretem mal, não me estou a queixar de um erro de arbitragem, estou-me a queixar desta miserável tentativa de branqueamento de lances que parece que não dão jeito a quem tenta vender a ideia de que os erros de arbitragem só beneficiam o Benfica.

Se o filho da puta fosse coerente, poderia ter dito, por exemplo, que, no penalty do Luisão (este o filho da puta já viu claramente), o árbitro fez muito bem em não ter assinalado a grande penalidade, porque a bola se dirigia para a bandeirola de canto, sem qualquer perigo, e o penalty iria propiciar à equipa do Lis uma situação de golo mais perigosa do que aquela que a falta teria impedido. Isto para seguir a mesma lógica da batata.

E nem vou comentar a opinião do mesmo filho da puta a respeito do lance de que resulta o golo do Sporting que abre o ferrolho vimaranense, digo simplesmente que, se este filho da puta tiver o azar de se cruzar comigo, juro que colo um balão de pastilha elástica no cabelo do filho da puta, mesmo junto à raiz da popa. Quando virem o filho da puta na televisão com um corte de cabelo acentuado, saberão que cumpri a promessa.

domingo, outubro 07, 2007

Procura-se...


Num buraco perto de nós.

Parabéns, Zé Carlos, o senhor apresenta melhoras

Muito bem, o senhor percebeu que tinha de jogar com dois avançados. Quando o fez, voltou a marcar golos (repare que eu disse golos, no plural), coisa que não fazia desde que achou que não era boa ideia apresentar mais do que um. Veja lá que até deu para ganhar o jogo. Valeu a pena a máquina ter começado a assobiar, hem?

Muito bem também no facto de ter percebido que o Luís Filipe só pode ser chamado em condições muito particulares. Não posso deixar de estar satisfeito consigo neste aspecto.

O senhor está muito melhor nas substituições. Ainda não está perfeito, mas já se nota qualquer coisinha. Eu temia que, a ganhar, o senhor pudesse tirar o avançado que lhe parecia exagerado, convidando o adversário a não ter outro remédio senão atirar-se para cima de si, mas o senhor não caiu nesse erro. Os meus parabéns.

Agora veja lá se descobre uma solução qualquer para o lado direito, não pode pôr o peso todo no lado esquerdo, fica todo torto. Mas esteve muito bem em não ter insistido em Di María. Descubra qualquer coisinha, puxe pela cabeça, que umas canadianas do estrangeiro não chegam cá antes de Janeiro.

Vá, ainda não estamos bem, não me interprete mal, mas o senhor está melhor, está melhor, é continuar neste caminho. Ganhe juízo, nada de recaídas.

Falta? :) *


* Post de Peyroteo, in Sector B 32

Espanta-me que ainda haja inteligências que se agarrem a fotografias para provar o que quer que seja (sim, NP, a carapuça também tem o teu número). Desculpa lá, Peyroteo, mas vou ter de te chamar um nome feio com todas as letras: és um grande qwertyuiopasdfghjklçzxcvbnm!

A única coisa que esta fotografia prova (não me fodam, vê-se claramente) é que o Tonel tem apenas uma perna. (Respondendo à pergunta do Peyroteo, sim, falta: falta um membro locomotor.) Assim, a única dúvida que a foto desfaz é aquela de saber se o defesa leonino é ou não é um grandecíssimo coxo. Está visto que não é: o único perneta que coxeia é o Mantorras.

Areia para os olhos

O pior cego é o que não quer ver mais que a toupeira

sexta-feira, outubro 05, 2007

quinta-feira, outubro 04, 2007

Zé Carlos

Quem és tu, Zé Carlos?

Dizem os bons costumes que se deve passar o dia de aniversário em família. Assim fiz. Ontem fui à Luz festejar com a família benfiquista. Optimista por natureza, previa uma enchente e tratei de assegurar bilhete com uma semana de antecedência.

As coisas começaram a correr mal quando cheguei ao estádio, o que não é mau de todo quando se tem que fazer uma viagem de 200 quilómetros à chuva. A pessoa amiga que me tratou do rectângulo mágico não poderia vir ao estádio e encarregou um funcionário lá da empresa de me fazer chegar o dito cujo. Zé Carlos, na casa dos 40, baixo e gordo, de bigode, fato de treino vermelho, cachecol do glorioso, 3 dentes em falta. Assim me foi apresentado à distância. “Ah, e não tem telemóvel... Boa sorte!”.
Esta preciosa descrição eliminava cerca de 1000 gajos, num universo de 30 mil. Já não era mau de todo. “Atenção, que o Zé Carlos é capaz de chegar aí um bocadinho tocado...”. Agora a tarefa adivinhava-se bem mais complicada. Era mais ou menos como tentar encontrar o Lao Tioting, um chinês de olhos em bico, no mercado de Xaoxing a um sábado de manhã.
Mesmo assim, fui à luta!

O aquecimento

Faltava meia hora para o início do jogo e surgiam Zé Carlos por todo o lado. Felizmente, e aqui mando aquele abraço ao Camacho, as últimas exibições/resultados afastaram perto de 20 mil Zé Carlos do sorteio. Pus-me de olhos bem abertos. À minha esquerda, uma mulher de 90 quilos grita bem alto: “OLHA O CACHECOL DO BENFICA A 5 EUROS!”. À minha direita, uma mulher 20 quilos mais velha intercala com a outra, em intervalos ainda mais curtos: “OLHA O CACHECOL DO GLORIOSO A 5 EUROS!”.
Abandono temporariamente o local combinado, afastando-me uns bons 20 metros da feira, e fui espreitar o treino das escolinhas do Benfica. Era uma boa oportunidade para verificar o que está a falhar na formação do clube. Bastaram 10 minutos do 0-0 da peladinha para chegara a conclusões. Os avançados falham golos fáceis a um ritmo frenético. Sem bons avançados não se conseguem treinar bons defesas. Sem bons defesas e sem avançados competentes, o pessoal do meio-campo, claro está, desespera com a situação e, mais cedo ou mais tarde, abandona o clube e atravessa a estrada.

Do meu Zé Carlos, nem um cheirinho. O cachecol já se vende a 4,50€. Lá dentro, ouve-se o hino da champions. Cá fora chove. E a 200 quilómetros de distância, começo a sentir uma pontinha de saudade do meu rico sofá.

Vou? Não vou? Vou? Não vou? Vou. (burro!)

O meu grau de arrependimento atingia agora o seu valor máximo, ele que andou intermitente durante toda a semana, à custa do meu curto mas já famoso histórico de jogos dos encarnados: derrotas com Manchester e Sporting, vitória inútil sobre o Anderlecht e copiosa derrota em Leiria, sem esquecer um nulo total em Coimbra, debaixo de chuva constante. Ao final da noite confirmou-se a sensatez da minha promessa entretanto esquecida: deixo de ir ao futebol quando o Chalana pendurar as botas. O que é certo é que me agarrei com unhas e dentes ao facto de o homem ainda as calçar no banco de suplentes. Tenho pago bem por isso. Eu, a família, e a família benfiquista.

A 1ª parte

Entretanto começa o jogo e eu cá fora. Dois minutos depois, ouve-se um bruááá gigantesco que eu iria jurar tratar-se de um golo ucraniano. Corro para o ecran mais próximo e assisto em repetição a um remate do Cebola, logo seguido de dois cantos consecutivos. “Tu queres ver que estes cabrões vão arrancar para uma exibição de gala, com direito a 20 minutos à Benfica, e eu aqui à chuva à procura de um Zé Carlos??”

Dei de caras com o meu Zé Carlos (porque ele nunca na vida daria de caras comigo) já passava das 8, e quando já só restávamos nós dois no local combinado. Passa-me o bilhete e remata: “Já perdemos 20 minutos à Benfica!”. Fugi a correr para o estádio, festejar o que me restava do bilhete.

O mito da camisola rosa

Já trazia essa ideia do exterior e confirmei-o lá dentro: o sucesso comercial da camisola rosa é um mito. Das duas, uma: ou o pessoal que a comprou tem vergonha de a trazer à rua ou houve um só gajo que as arrebatou todas. E se a segunda hipótese for a verdadeira, só estou a ver um indivíduo que o tenha feito: o Nuno Gomes.

As substituições

As probabilidades de me calhar na rifa um Zé Carlos como companheiro de carteira eram enormes e cumpriram-se. Infelizmente, o que me calhou não cumpria todos os requisitos – estava sóbrio e, pior que tudo, percebia-se perfeitamente tudo o que dizia. Aos 25 minutos já tinha esgotado as substituições meia dúzia de vezes. “Metia este, tirava aquele. Tirava o outro e metia este e aquele nunca mais jogava neste clube”.
Convém sublinhar que, em média, um Zé Carlos faz uma substituição de 5 em 5 minutos. O que significa que, em jogo de casa cheia, ordenam-se 1 milhão, cento e setenta mil substituições a partir da bancada.
Querem trazer mais público aos estádios? Instalem um aparelho de substituição em cada cadeira, com os resultados a aparecerem no écran gigante em tempo real. A cada 100 mil votos tem que sair o gajo mais votado. Coloca uma pressão saudável sobre os jogadores e poupa um trabalhão ao treinador, podendo este dedicar-se com mais afinco à táctica do “lançamento lateral em chuveirinho a partir de qualquer zona do relvado”.

A 2ª parte

Tirando alguns momentos de futebol de salão praticados pela equipa visitante, a 2ª parte foi uma valente seca. Fiz questão de me desmarcar do Zé Carlos da 1ª parte e fui acompanhar o ataque do Benfica para outro sector. Não podia ter feito pior escolha. As coisas estavam calmas, até entrar em campo um tal de Bynia. O Zé Carlos que se sentou atrás de mim passou o tempo todo a gritar: “Passem a bola ao hamburger!!”. Só lá mais para o final percebi. Um outro Zé Carlos, já em tempo de compensação, grita-lhe com todos os dentes que tinha à mão: “OH PÁ FOSGA-SE!! ESTE GAJO NÃO É O ADU!! É O VINHA!!!”.

O inferno da Luz

Se há estádio no mundo que entre em delírio com um toque de calcalhar no meio-campo defensivo, é o estádio da Luz. Isto não é mito. Duas jogadas de perigo eminente no espaço de 3 minutos são suficientes para momentaneamente nos esquecermos de 10 anos de fracassos desportivos, do Nelo, do Tavares, do Rojas, do Moretto e do Michael Thomas. Nessas alturas, até o Artur Jorge é recordado pelas poucas “coisas boas” que fez no seu reinado. Eu sei que a coisa passa rapidamente, mas são momentos bonitos.
Como invejo aqueles que estiveram lá nos grandes momentos do clube, quando se faziam 3 passes certos seguidos e até se marcavam golos. Eu nunca estive e provavelmente nunca estarei. Porquê? Porque vou ver sempre os jogos errados. Este ano estou servido, obrigado. Mas para o ano estou lá outra vez. Porque continuamos a ser, em alguma coisa, o maior clube do mundo!

BnR Bet – Jornada 7

Continuam os saldos: quem entrar nesta jornada ganha também uma licitação no próximo leilão invertido.

Posto isto, posta a tua aposta!

Tabela Classificativa BnR Bet – Jornada 6

Descobres algum erro?

  • Mais uma jornada típica do mau feitio desta prova: só 3 concorrentes pontuaram, o que é uma prova de que nunca foi tão fácil ganhar 500 euros. Vais deixar que alguém fique com eles?

  • O líder perdeu os primeiros pontos, e 89 de uma assentada. Como se pode ver, não havia razão para desmoralizar, nunca há, que eles estampam-se sozinhos. Basta uma jornada.

  • Quinhentinhos não se mexeu mais uma vez, e mesmo assim aporximou-se 89 pontos do primeiro lugar de T-Rex. Atrás de si, os 3 gajos que pontuaram nesta 6.ª ronda: Anti-franceses, Insurrecto e Ratogoleador.

  • Lá para trás, foi o descalabro. Quem meteu o pé levou nas orelhas, e houve mesmo uma mão-cheia que foi com os porcos: Antitripa (eu avisei que não era seguro apostar no SLB), Zhero (que fez jus ao nick), Red Glock (ioiô!), O Visconde Era Gay (não acertas uma, pá, foste campeão uma vez por acaso, como o Belenenses, está visto) e Tiago (que se tinha estreado nesta jornada, tss, tss).

  • Faxavor de confirmarem a correcção das contas, para ganharem uma vidinha extra e fazerem o prémio subir 10 euros.

Com que então, o tigre não era de papel...

Nos últimos 7 jogos dos italianos, só o reverencial Benfica conseguiu perder com o super hiper mega ri-fixe Milão. É acessível para todos, menos para o clube do anormal do Boloposte. (Nem pensem que vos devolvo os insultos, ó entendidos de merda, são todos meus.)

quarta-feira, outubro 03, 2007

Nível de paciência do Boloposte neste momento

O futuro ex-salvador da pátria exigido pelo boloposte que já começou a perder a paciência com as inovações do espanhol!

"Camacho pede tempo para Benfica e compara Shakhtar ao Sporting "


Óptimo! Já só falta comparar o árbitro do jogo ao Pedro Henriques e rezar para que o árbitro assistente não seja assistente e não saiba falar para o auricular!


SHAKHTAR DONETSK RULES!

Ninguém fala de Kiev?

Lanço um desafio, um pouco à semelhança daquele que está mais abaixo.

  • O primeiro golo do Sporting frente ao D. Kiev, apontado por Tonel, é irregular ou não?
  • Os defensores de Paulo Bento, mesmo satisfeitos com a vitória, devem ter sentido uma dor de alma com a desorganização da primeira parte e as instruções para os últimos 10 minutos em que a ordem era defender até mais não
  • Dou a mão à palmatória. Este Ronny é jogador, mas tem de aparecer mais vezes
  • Aposto um jantar no Gambrinus em como o Benfica não vence o Shakthar
  • O FC Porto vai repetir o resultado do Sporting

terça-feira, outubro 02, 2007

Penalty?

O Pedro Neto deixou algures um link para esta (excelente) foto:

Image Hosted by ImageShack.us


O que eu proponho é muito simples. Com base nas imagens que viram e no que esta foto mostra, acham que:

1 - É penalty
2 - Não é penalty
X - Não consigo concluir se é ou não penalty

Para tornar isto mais interessante, não era má ideia colocarem também o vosso clube. Acho que a conclusão vai ser engraçada...

NÃO!NÃO!NÃO!NÃO!


Não se entende!

Como é possível que não se aprenda nada do passado?

Como é possível que se disponha a tirar uma, mísera, fotografia com um escroque?

Como é possível que exista um jornal, com fins (in)confessáveis, aja como se ainda estivesse numa ditadura e, como tal, agindo como veículo de propangada?

Isto não é ingenuidade! É burrice! É estupidez! É cegueira! Ou é querer alinhar com os métodos do escroque visionário da melhor equipa lamp dos últimos 10 anos, aka, equipa maravilha, aka, melhor plantel, etc..! Seja qual for o objectivo do pipinho...FODA-SE PIPINHO, digo NÃO! Nem que seja para angariar fundos para um orfanato...NÃO!


NÃO, existem superiores interesses do Sporting que mereçam a associação a tão vil criatura!

O gajo é lampião/benfiquista/águia/milhafre, whatever...portanto é um hematoma deles...não nosso!

FODA-SE PIPINHO! COMPORTA-TE COMO UMA PESSOA SÉRIA (MESMO QUE NÃO O SEJAS!)

NÃO ME ENVERGONHES, HOMEM!

segunda-feira, outubro 01, 2007

Oito ou onze coisinhas a respeito de arbitragem

  • Tirando aqueles que não se importam de ganhar a qualquer preço, penso que todos prefeririam ganhar sem batota (é uma ideia parva que tenho).

  • Tirando os cegos que não querem ver, penso que todos sabemos que o futebol português tem a arbitragem minada. Ninguém acredita em erros involuntários, os senhores apanhados em escutas continuam todos impunemente a fazer o que sabem fazer melhor. Nada acontece aos que escolhem árbitros, nada acontece aos árbitros que se deixam escolher. Todos se dizem prejudicados, todos se acusam mutuamente, pelo que julgo que o actual estado das coisas não interessará a ninguém (mais uma ideia parva minha).

  • Perante este estado de coisas, dois caminhos são possíveis: ou se pugna pela mudança, ou se dança conforme a música. Eu preferia que se lutasse pela mudança, mas não posso condenar que outros, vendo-se em Roma, queiram fazer como os romanos (aqui, podem chamar-me tudo, menos parvo).

  • Em relação ao meu clube, gostava que a equipa estivesse sempre preparada para o erro do árbitro, seja ele involuntário ou premeditado. Quem sejamos capazes de marcar outro golo, se o árbitro nos anular o primeiro. Que sejamos capazes de virar o resultado, se o árbitro resolver inventar um penalty contra nós. E gostava que tivéssemos a nobreza de atirar a bola para fora se soubéssemos que o penalty que nos favorecia era inexistente. E que os meus jogadores não se atirassem para o chão. E que não atirassem a bola fora quando outros fazem ronha (tenham paciência, estou em maré de ideias parvas).

  • A propósito dos lances polémicos do último derby, os lances são mais polémicos por causa do tal clima de suspeição do que pelas decisões em si. Recordemo-los:

    — Queixam-se os sportinguistas de um derrube de Katsouranis a Romagnoli. Francamente, foi um lance em que só no rescaldo reparei. Durante a transmissão do jogo, no conforto do meu sofá, nem eu nem o lagarto que comigo via a bola (no estádio, nem os comentadores, nem os jogadores) demos por nada. Há quem considere falta, há quem ache que não. Se não houvesse aquele clima de suspeição, e admitindo que possa ter havido falta para grande penalidade, teria sido um erro por parte da equipa de arbitragem que se poderia desculpar.

    — Queixam-se os sportinguistas de que Katsouranis jogou a bola com o braço. Vão-se foder, que não há falta nenhuma. É engraçado que os mesmos gajos que acharam que o movimento voleibolísitico de Tonel na Supertaça não era passível de falta sejam os mesmos que se sintam prejudicados por este lance também não ter sido sancionado. O mais caricato deste lance é a rábula do fiscal de linha, perfeitamente compreensível se não houvesse este “clima de suspeição”. Senão vejamos:
    1 – o árbtiro não vê qualquer motivo para apitar e deixa seguir o lance;
    2 – o auxiliar julga ter visto qualquer coisa e agita a bandeirola;
    3 – o árbitro consulta o auxiliar para saber que falta lhe tinha escapado;
    4 – quando o auxiliar lhe diz que tinha visto o braço do grego na bola, é natural que o árbitro lhe tenha dito: «foda-se, pensei que tinhas visto algo que me tivesse escapado, esse lance vi eu, não há motivo para falta.»

    — Queixam-se os benfiquistas de um derrube de Moutinho a Adu. Pois claro que se queixam, é inequívoco (menos para o NP), e foi nas barbas do árbitro, que só não marcou porque não quis. Sem suspeição, eu comia e calava; com suspeição, eu sei a quem é não interessava que a igualdade se desfizesse ao cair do pano.


    — Parece que o Tribunal de O Jogo fala num outro penalty de Ronny sobre Rodríguez, com a bênção da besta do Coroado. Sinceramente, nem sei de que lance é que estão a falar; se me escapou na TV, é muito natural que possa ter escapado ao árbitro. Nem perco tempo com ele.

  • Portanto, contas feitas, havia um penalty por assinalar para cada lado. Sem suspeição, aceitava-se os erros como naturais. Com suspeição, é mais difícil: se o árbitro tivesse fechado os olhos aos “penalties” sofridos pelos lagartos com o claro intuito de beneficiar o Benfica, tinha assinalado o penalty sobre o Adu, que foi o mais claro. Se o árbitro pretendia prejudicar o Benfica negando-lhe uma grande penalidade inequívoca ocorrida nas suas barbas, também podia ter-se escudado na opinião do fiscal para levar mais efectivamente a água ao seu moinho. Portanto, se Pedro Henriques estava instruído, não é muito difícil perceber em que sentido e por quem.

  • A respeito do escandaloso penalty da Amadora, nessa prova importantíssima que nenhum clube envolvido na Champions pretende perder, também não é difícil perceber o patrocínio do promotor do Apito Encarnado. Eu já sabia (pelas escutas) que os árbitros os favoreciam nos jogos deles. Eu já sabia (pelas escutas) que os árbitros os favoreciam prejudicando o Benfica nos jogos com outros adversários. Na Amadora fiquei a saber que nos prejudicam “beneficiando-nos” descaradamente. Sim, porque o penalty da Amadora só deu jeito ao DVD do Apito Encarnado, a mais ninguém. Por isso é que tenho pena que o Adu não tenha tido a nobreza de atirar a bola para fora.

  • E termino este lençol fazendo a dobra no ponto que me parece essencial: se este estado de coisas não interessa a ninguém, por que raio é que não se promove um debate no sentido de encontrar a solução do problema?